Levi’s e Google prestes a lançar novo casaco inteligente por 329 euros

Desenvolvido ao longo de dois anos, o lançamento do ‘wearable’ está previsto para o outono deste ano.

A Levi’s juntou-se ao Project Jacquard da Google, divisão dedicada a projetos tecnológicos avançados, para conceber um casaco “inteligente”, com vista a permitir a utilização de informação do Google Maps, a fim de obter informação sobre os locais próximos, atender e rejeitar chamadas e, ainda, ouvir música.

Com dois anos de desenvolvimento e composto por um tecido condutivo, este casaco de tecnologia avançada vai ser capaz de apontar ao seu público-alvo – os ciclistas – mudanças e atualizações no mapa, bem como permitir que a música a tocar no Spotify seja alterada, conforme um toque ou deslize da mão no tecido.

Foi durante esta semana, no decorrer do festival SXSW, em Austin, Texas, que o valor do casaco foi anunciado. Paul Dillinger, global Product Innovation head da Levi’s, esclarece que necessidades reais e imediatas estão por detrás da motivação deste projeto.

A esta altura, já estava previsto que o produto tivesse sido lançado no mercado dos wearables, não tivesse o desenvolvimento da aplicação atrasado o processo. No entanto, o seu lançamento oficial está (re)marcado para este outono, ao preço de 350 dólares (aproximadamente 330 euros).

 

Recomendadas

António Costa diz que o país tem “uma grande dívida para com o interior”

O secretário-geral do PS, António Costa, assumiu esta quarta-feira que o país tem “uma grande dívida para com o interior” tendo em conta que é nesta zona que se produz um quarto da energia consumida em Portugal.
pardal_henriques_sindicato_nacional_dos_motoristas

Pedro Pardal Henriques deixa de ser porta-voz dos motoristas para entrar na política

“Candidato-me porque acredito que podemos voltar a recuperar os valores de Abril”, refere o advogado, que recusa estar a autopromover-se e garante que continuará a representar juridicamente o Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas.

Justiça investigou gastos de 30 mil euros de porta-voz da Antram em 2013-2014

A queixa-crime apresentada ao Ministério Público baseava-se na discrepância de 30 mil euros entre as faturas apresentadas pelo tesoureiro e o dinheiro que efetivamente saiu da conta bancária da associação, durante o mandato de André Matias de Almeida.
Comentários