Licenciado em Engenharia, Economia, Gestão, Contabilidade, Arquitetura ou RH? Mota-Engil procura 110 ‘trainees’

A 7ª edição do seu Programa de Trainees visa integrar jovens, durante um ano, em países como Portugal, Irlanda, Peru, Brasil, México, Costa do Marfim, Uganda, Ruanda, Angola, Moçambique ou Malawi.

Mario Proenca/Bloomberg

A Mota-Engil lançou a 7ª edição do seu Programa de Trainees [Start@ME], definida para integrar 110 jovens licenciados ou com mestrado, durante 1 ano, em países como Portugal, Irlanda, Peru, Brasil, México, Costa do Marfim, Uganda, Ruanda, Angola, Moçambique ou Malawi.

As candidaturas estão a decorrer e a construtora pretende incluir talentos em início de carreira nas operações do grupo, oferecendo também a oportunidade de desenvolverem carreira. “A Mota-Engil valoriza candidatos com uma atitude de dinamismo e proatividade, sólidos conhecimentos de inglês e disponibilidade para a mobilidade internacional”, refere a empresa.

No entanto, os candidatos a trainee devem ter uma licenciatura e/ou mestrado em Engenharia Civil, Engenharia Mecânica, Engenharia Eletrotécnica, Engenharia de Minas, Engenharia Geotécnica e Geoambiente, Engenharia Geológica, Engenharia do Ambiente, Engenharia e Gestão Industrial, Engenharia Topográfica, Economia/Gestão, Contabilidade, Arquitetura ou Recursos Humanos.

“Os trainees beneficiarão de uma experiência de trabalho no terreno e ainda de um plano de formação em sala, complementado com um programa de mentoring com profissionais seniores do grupo”, garante a Mota-Engil, que conta actualmente com cerca de 28 mil colaboradores entre os 28 países nos quais opera.

 

 

Ler mais
Recomendadas

Insónias estão associadas a mais de 80% das depressões

A má qualidade do sono está associada, em grande medida, a aspetos depressivos, disse hoje à agência Lusa a especialista Marta Gonçalves, que participa no simpósio “Insónia: a perspetiva da Medicina do Sono”, em Coimbra.

Quer ajudar a União Zoófila? Provedoria dos Animais de Lisboa vai receber donativos

“É fundamental que todos nós nos responsabilizemos pelos animais que não têm uma família ou que vivem em situação de grande carência”, refere a Provedoria dos Animais de Lisboa

Bilhetes para o futebol estão mais caros em Itália. E a culpa é de um português

A claque da Juventus já apresentou várias queixas, e através de um comunicado, explicaram que vão aos jogos mas com desagrado, já que ver a ‘Vecchia Signora’ fora de casa custa 100 euros.
Comentários