Ligeiras perdas em Wall Street

A bolsa de Nova Iorque com ligeiras perdas na última sessão da semana num momeneto em que os investidores ainda não têm uma tendência definida. Acordo da OPEP para reduzir a produção do “ouro negro” fez disparar o preço do petróleo.

Brendan McDermid/Reuters

Os três principais índices da bolsa de Nova Iorque abriram a última sessão da semana com ligeiras perdas. O S&P 500 está a ceder 0,07% para 2.694,02 pontos, o tecnológico Nasdaq recua 0,31% para 6.817,97 pontos e o industrial Dow Jones perde 0,03% para 24.939,57 pontos.

Os investidores ainda não têm uma tendência definida, num dia marcado por sinais de abrandamento no crescimento do emprego nos Estados Unidos, mas também com a decisão tomada pelo cartel petrolífero formado pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) em cortar na produção de petróleo.

Os preços de petróleo dispararam esta sexata-feira, depois de a OPEP ter anunciado, em Vienna, um corte na produção de petróleo de 1,2 milhões de barris diários. O Brent, preço de referência mundial e para mercado europeu, está a valorizar 4,78% para 62,93 dólares, e o West Texas Intermediate , referência para o mercado norte-americano, está a subir 3,98% para 53,54 dólares.

 

(atualizada)

 

 

Ler mais
Relacionadas

Irão assegura que não está de saída da OPEP

Embargo dos Estados Unidos à produção de petróleo iraniano parece ser uma pressão para que o país deixe o agregado. Mas Teerão não está a contar seguir o caminho do Qatar.

Detenção da CFO da Huawei e queda do preço do petróleo levam Wall Street a fechar mista

Detenção no Canadá da CFO da Huawei, Meng Wanzhou, fragilizou as tréguas comerciais entre os EUA e a China, podendo colapsar. OPEP adiou a decisão sobre corte de produção do petróleo, levando o preço do “ouro negro” a cair.

Trump apela à OPEP: “o mundo não precisa de preços de petróleo mais altos”

“Se tudo correr bem, a OPEP continuará a produzir petróleo como o está a fazer, sem restrições. O mundo não quer ver, não precisa, de preços de petróleo mais altos”, escreveu hoje Donald Trump, na rede social Twitter.
Recomendadas

Angola arrisca-se a cair para quinta maior economia de África

A Bloomberg Intelligence alertou que novas desvalorizações do kwanza, no seguimento do acordo com o FMI, podem fazer com que Angola caia para o quinto lugar das maiores economias da África subsariana.

Moody’s: “Política monetária permanecerá altamente acomodatícia”

Vice-presidente da agência de notação financeira Moody’s, Madhavi Bokil, defendeu que o “momento da normalização da taxa de juros dependerá das perspectivas de crescimento”.

Parlamento Europeu quer imposto sobre serviços digitais mais ambicioso

A decisão final terá de ser tomada por unanimidade no Conselho.
Comentários