PremiumLinklaters e Garrigues partilham venda de ativos do Novo Banco

Consultora Alantra assessora processos de venda de ativos do Novo Banco, no valor global de 1,8 mil milhões de euros.

Cristina Bernardo

O Novo Banco arrancou com o processo de venda de um vasto portfólio de crédito malparado (non performing loans, ou NPL), em duas operações que são assessoradas pela consultora espanhola Alantra e que prometem ocupar também algumas das principais sociedades de advogados. Ao que o Jornal Económico apurou, a Linklaters está a assessorar uma dessas operações, de venda de carteiras de NPL no valor de 1,1 mil milhões de euros, ao passo que o assessor jurídico do outro processo, no valor de 700 milhões, será a Garrigues.

O “Projeto Nata” tem lugar numa altura em que os principais bancos procuram entrar no novo ano com os seus balanços limpos de NPL e de outros ativos que penalizam os seus rácios de capital. Mas o processo do Novo Banco é o maior jamais realizado de uma só vez por um banco em Portugal, contando com uma garantia do Fundo de Resolução para eventuais perdas. Esta venda começou por ser entregue à KPMG, mas posteriormente a Alantra – que em Portugal é liderada por Rita Barosa, ex-quadro do BES – integrou a equipa daquela firma que se dedicava a esta área de negócio, ficando assim com o processo.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

PremiumJosé Costa Pinto: “É o momento de deixar a presidência da Associação Nacional de Jovens Advogados Portugueses”

José Costa Pinto anuncia ao Jornal Económico que não se vai recandidatar à presidência da ANJAP, cujas eleições serão em dezembro. Nesta entrevista fala ainda sobre o estado da Justiça em Portugal.

Os desafios fiscais da digitalização

Também no domínio da fiscalidade não existem modelos perpétuos, exigindo-se a sua permanente adaptação à evolução da economia e dos negócios.

Qual a (in)tenção da baixa tensão?

As opções a serem tomadas pelas autarquias dependem da demonstração de que a solução apresentada pela EDP não é a melhor para o território dos seus municípios.
Comentários