Lisboa arranca hoje com a 3ª edição do The New Art Fest

O tema deste ano – America Online/Net Generation – foca-se na arte digital do continente americano, da Terra do Fogo ao Alasca.

Começa esta sexta-feira, dia 9 de novembro, em Lisboa, a 3ª edição do The New Art Fest, evento dedicado à arte digital e ‘new media’.

Este evento, que se vai prolongar até dia 30 de novembro, junta artistas e curadores internacionais no Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado, Museu Nacional de História Natural e da Ciência (Picadeiro), sede da Ordem dos Arquitectos, Sociedade Nacional de Belas Artes e em vários outros locais da cidade.

“O tema deste ano – America Online/Net Generation – foca-se na arte digital do continente americano, da Terra do Fogo ao Alasca, e traça um percurso sobre a arte electrónica e digital desde os primórdios, após a II Guerra Mundial, passando pelo advento da Internet, até aos dias de hoje, através de exposições, conferências, ‘performances’ e ‘workshops'”, explica um comunicado da organização.

Segundo este comunicado, “os mais novos têm também a atenção do The New Art Fest 2018, através do projeto NitroPortugal, do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa e da Cultivamos Cultura, em que a arte e a tecnologia se aliam para explicar os reais efeitos do excesso de azoto no ambiente”.

A programação do festival está também disponível em http://www.thenewartfest.com

O director artístico do The New Art Fest é António Cerveira Pinto.

Ler mais
Recomendadas

Sociedade Portuguesa de Autores premeia jurista Patrícia Akester

A cooperativa de autores entregou esta quarta-feira o prémio Pró-Autor à advogada que criou um gabinete jurídico relacionado com Propriedade Intelectual e Inteligência Artificial.

Escapadinha de fim de semana? Aproveite. Ryanair com voos a partir de 3,99 euros

Existem 100 mil lugares com voos 20% mais baratos para os meses de maio, junho e julho.

Local Tuk Tuk investe em Madrid e cria novo negócio com os veículos

“O mercado espanhol é cerca de quatro vezes maior. Espanha é muito mais apetecível porque está a crescer”, refere o fundador, Filipe Figueiredo. Além das típicas tours, a empresa portuguesa apostou na venda e aluguer das viaturas. Em 2018, a faturação da empresa com esta unidade de negócio foi de cerca de um milhão de euros.
Comentários