Livrarias em asfixia financeira por causa dos ‘vouchers’ para manuais escolares

Os empresários ameaçam boicotar os livros no próximo ano letivo.

Há livrarias portuguesas com problemas financeiros devido à falta do dinheiro dos manuais escolares que entregaram. Os livreiros em questão ameaçam boicotar o sistema no próximo ano letivo, escreve na edição desta sexta-feira, 9 de novembro, o “Jornal de Notícias” (JN).

O processo de entrega dos manuais passa pelas livrarias solicitarem na plataforma o número de compromisso e, depois, passar a fatura às escolas, que só pagam quando receberem as verbas do Ministério da Educação. A opção abrange 520 mil alunos do 1º ao 6º ano de escolaridade.

Segundo o JN, há casos de empresários que têm por receber 39 mil euros (como a Livraria Algarve) e outras que só receberam 10% do que lhes falta (como a Livraria Isabsa). A Porto Editora garante estar “flexível” com os clientes. Já o Governo assegura que “as transferências para as escolas tiveram início em setembro” e que já foi entregue uma parte “substantiva da verba”.ivro

Recomendadas

Mercado imobiliário não vai abrandar mas sim normalizar

A promotora Habitat Invest vai investir mais de 240 milhões de euros este ano em oito novos projetos residenciais e vai colocar no mercado mais 495 frações habitacionais. Este ano, a empresa vai alargar a oferta para fora de Lisboa e para a classe média.

Patrões oferecem quase 10 mil euros por emprego para dois num farol da Califórnia

Se estiver interessado em trabalhar no histórico East Brother Light Station temos aqui o formulário para se candidatar.

Apostar nas grandes empresas para passar entre os ‘pingos da chuva’

Os mercados acionistas estiveram em alta nos últimos 10 anos. Aparentemente acabou um ciclo mas os analistas acreditam que um mercado em hipotética queda é uma oportunidade.
Comentários