Londres luta para manter a sede da Autoridade Bancária Europeia

O ‘ministro do Brexit’ não aceita que o regulador europeu bancário e financeiro e Agência Europeia de Medicamentos façam as malas e abandonem Canary Wharf, em Londres.

O processo de saída do Reino Unido da União Europeia avança e com ele intensificam-se os braços de ferro entre o governo britânico e o projeto europeu. Uma das mais recentes lutas envolve a Autoridade Bancária Europeia e a Agência Europeia de Medicamentos, entidades que David Davis, o ministro responsável pelas negociações do Brexit, não quer que mudem de sede.

De acordo com o jornal britânico “Financial Times”, o ‘ministro do Brexit’ não aceita que as duas agências europeias, e cerca de mil funcionários, abandonem o famoso complexo de edifícios comerciais londrino – medida com a qual a União Europeia quer avançar, através de um concurso de realocação a ser realizado em breve.

“Nenhuma decisão foi tomada sobre a localização da Autoridade Bancária Europeia ou da Agência Europeia de Medicamento: vão ficar sujeitas às negociações de saída”, adiantou um porta-voz do departamento ‘Brexit’ à imprensa britânica, que explica que o governo deixou em aberto a possibilidade de manter algumas agências europeias, pelo menos, a curto prazo.

“O governo vai discutir com a União Europeia e os Estados membros a melhor maneira de continuar a cooperação nos domínios da regulação da banca e dos medicamentos para ir ao encontro do melhor interesse do Reino Unido e da União Europeia”, acrescentou o porta-voz ao FT. Espera-se que os líderes europeus discutam a nova sede das agências no próximo dia 29 de abril, data em que se prevê que os 27 insistam na estratégia que querem levar para a frente sobre a saída do Reino Unido do seu núcleo.

Recomendadas

BdP e CMVM já enviaram as respostas que a ASF precisa para avaliar idoneidade da administração da Mutualista

O Banco de Portugal enviou ontem por escrito a informação que a ASF diz ter pedido para avançar com a avaliação da idoneidade da administração de Tomás Correia. A CMVM também já respondeu ao regulador dos seguros.

Tranquilidade: “Apollo teve um papel fundamental na nossa recuperação”

“A Apollo teve um papel fundamental na nossa recuperação, aportando capital e know-how num momento crítico, reestruturando o balanço e desencadeando a integração e transformação fundamentais à nossa sustentabilidade”, escreve a Tranquilidade aos seus parceiros comerciais.

Parlamento aprova auditoria independente ao Novo Banco pós-resolução

O projeto de lei, apresentado pelo PSD, foi aprovado esta sexta-feira na Assembleia da República. Os deputados, à exceção do PS, concordam que é “indispensável” que seja avaliado o que se passou desde a resolução do Novo Banco e seja devidamente explicada a dimensão da injeção e ajuda pública envolvida.
Comentários