Lucro da Visabeira aumentou 78,5% no ano passado, para 50 milhões de euros

Os resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA) atingiu o montante de 124 milhões de euros, um aumento de 11,1% face a 2016, traduzindo uma margem de 19,4% em 2017, contra 19,1% em 2016.

Ruben Diaz Diez/Visabeira
Ler mais

O lucro da Visabeira cresceu 78,5% no ano passado, face a 2016, para 50 milhões de euros, suportado pela evolução do mercado internacional e pelo bom desempenho da Vista Alegre, segundo as contas da empresa, divulgadas esta segunda-feira.

O volume de negócios que atingiu os 638 milhões de euros, concretizando um crescimento de 6,2% relativamente ao ano anterior.

Os resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA) atingiu o montante de 124 milhões de euros, um aumento de 11,1% face a 2016, traduzindo uma margem de 19,4% em 2017, contra 19,1% em 2016.

O Grupo Visabeira alcançou em 2017 um resultado líquido de 50 milhões de euros, um montante superior relativamente ao do exercício de 2016, que se fixou nos 28 milhões de euros. Para este bom desempenho contribuiu a Vista Alegre, que reforçou a tendência positiva registada no final de 2016, alcançando neste ano um resultado positivo de 4,2 milhões de euros.

A nível internacional, o Grupo Visabeira registou um crescimento expressivo no mercado europeu com um incremento de 27,7% face a 2016. O volume de negócios na Europa ascendeu a 266 milhões de euros, representando 41,6% do volume de negócios consolidado, sendo o principal país de destino França, com um peso de 64,9%. Adicionalmente, Bélgica, Alemanha, Itália, Espanha e Dinamarca apresentam um peso de 35,1% neste mercado. Os mercados de África ascenderam a 129 milhões de euros neste período, correspondendo a 20,2% do total do volume de negócios do Grupo. Os 3,8% remanescentes, correspondentes a 24,2 milhões de euros, respeitam aos mercados americano e asiático.

A área de negócios com maior peso nas contas consolidadas é a da Visabeira Global, com um contributo de 70,6% do volume de negócios total e de 63,1% do EBITDA, suportada na boa performance operacional nas atividades de televisão por cabo e infraestruturas de telecomunicações e energia. As áreas da Indústria, Turismo representam 25,4% do total do volume de negócio e 30,4% do EBITDA. Os remanescentes 4,0% do volume de negócios são relativos à sub-holding Visabeira Participações.

Relacionadas

Construção de hotel na estação de Santa Apolónia tem três candidatos e pode avançar já este ano

Visabeira, Hoti-Star e The House Ribeira Hotel apresentaram propostas à Infraestruturas de Portugal (IP) para a instalação de um hotel de quatro estrelas, com um mínimo de 120 quartos, no edifício da estação ferroviária de Santa Apolónia, em Lisboa. O júri do concurso vai analisar os projetos até ao final de março.

Visabeira deixa de ter participação qualificada na Pharol

O Grupo Visabeira SGPS, passou a ser titular de 9.893.212 ações, representativas de 1.1035% do capital social e direitos de voto da Pharol SGPS, empresa liderada por Luís Palha da Silva.
Recomendadas

Respostas Rápidas: qual a diminuição e crescimento dos transportes e mercadorias?

Na última quinta-feira, o Instituto Nacional de Estatística revelou os dados indicativos do segundo trimestre de 2018, sobre os dois setores.

DST investe 16 milhões em nova unidade industrial

A Bysteel FS é a mais recente aposta do DSTgroup, que conta a partir de agora com uma empresa especializada na conceção, engenharia e execução de fachadas e envelopes arquitetónicos para edifícios.

STCP vai fechar o ano com 50 autocarros novos

Estes autocarros fazem parte de um pacote de renovação da frota da empresa que passou pela aquisição, em curso, de um total de 188 autocarros, que irão entrar todos em funcionamento até meados de 2020, num investimento previsto de cerca de 92 milhões de euros.
Comentários