Luís Paulo Salvado: “Há uma competição pelo mesmo talento” com Google e Amazon

A entrada da Google e Amazon em Portugal aumenta a concorrência pelo mesmo talento.

“A entrada da Google e da Amazon em Portugal está a criar uma pressão grande ao nível dos salários no mercado português. Apesar do setor pagar acima da média, verifica-se essa pressão, porque há uma competição maior pelo mesmo talento e há falta de mão-de-obra, dissee em entrevista a Antena 1 e ao Jornal de Negócios, Luís Paulo Salvado, CEO da Novabase”

O CEO da Novabase considera que Portugal até conseguiu criar um ambiente favorável à instalação de startups em I&T mas não está a ser capaz de captar investimento que dê continuidade a estes projetos. Por isso Luís Paulo Salvado defende a necessidade de promover um ecossistema de investidores estrangeiros que, sozinhos ou com parceiros, tornem essas apostas consequentes. Caso contrário essas empresas nunca poderão mudar a economia como se pretende.

Luís Paulo Salvado considera que Portugal é dos melhores países do mundo para viver mas não é para trabalhar, nomeadamente devido à política de baixos salários. O CEO da Novabase não defende mexidas na legislação laborar, mas considera que é preciso repensar o modelo porque a legislação que existe é “anacrónica” e não foi pensada para o modelo de sociedade que existe e que vai continuar a existir, com novas gerações e novas formas de trabalhar.

Recomendadas

Avanços da Mercadona em Portugal não surpreendem

O anúncio de expansão da Mercadona em território nacional veio “agitar as águas”, abrindo a porta à reflexão sobre esta presença, mas também sobre o peso que assumem hoje as insígnias espanholas na distribuição portuguesa.

Marcas ocidentais perdem terreno nas preferências dos consumidores chineses

Enquanto a Apple, IKEA, Nike ou BMW perdem popularidade, marcas chinesas como a Alipay, Huawei ou Taobao sobem no índice de preferência dos consumidores.

Preços da eletricidade e gás em Espanha e Portugal são dos mais caros da União Europeia

No segundo semestre de 2017, a Espanha foi o sexto país da União Europeia com eletricidade mais cara (Portugal foi o quinto), segundo dados compilados pelo Eurostat. No topo desta tabela destacam-se a Alemanha, a Dinamarca e a Bélgica.
Comentários