Luxemburgo torna-se o primeiro país do mundo com transportes públicos gratuitos

Medida é válida e entrará em vigor no verão do próximo ano.

O Luxemburgo vai ser o primeiro país do mundo onde os tranportes públicos serão gratuitos para todos. A medida faz parte de uma promessa do governo de coligação reeleito no passado mês de outubro, liderado por Xavier Bettel, que tomou posse esta quarta-feira.

O objetivo desta medida é reduzir o impacto da emissão de gases poluentes com origem no tráfego rodoviário e motivar a mudança na utilização de automóveis particulares no Luxemburgo, onde o congestionamento do trânsito é um problema, em especial no centro das grandes cidades.

Diariamente o país acolhe 200 mil pessoas provenientes da Bélgica, França, Alemanha, sendo que na capital onde vivem 110 mil pessoas, deslocam-se para trabalhar 400 mil cidadãos vindos do resto do país ou de países vizinhos.

Esta medida entrará em vigor no verão do próximo ano e é válida tanto para os habitantes locais como para as centenas de pessoas que todos os dias se deslocam ao país para trabalhar. Até agora, os jovens com menos de 20 anos já viajam gratuitamente nos transportes públicos, estando os restantes preços dos bilhetes ao valor de dois euros até duas horas de viagem.

Recorde-se que, após as eleições nacionais, o governo luxemburguês concordou em aumentar o salário mínimo em 1,1%, uma subida de 20 euros. Para o trabalhador não qualificado, o salário mínimo atinge os 2.071.07 euros e para os trabalhadores qualificados o rendimento é agora de 2.485.29 euros, anunciou o ”Luxembourg Times’‘.

 

Ler mais
Recomendadas

Venezuela: Washington pede à UE para reconhecer Juan Guaidó como “único presidente legítimo”

Vice-presidente norte-americano recordou a conferência que se realizou esta semana em Washington na qual 30 países reafirmaram o compromisso de ajudar a Venezuela e enviar ajuda humanitária.

Eleições europeias: campo de batalha para todas as ‘fake news’

O movimento de Emmanuel Macron, como tantos outros, está convencido que Steve Bannon e Vladimir Putin estarão ativamente concentrados contra o aprofundamento da União Europeia.

Amazon desistiu de se mudar para Nova Iorque

A companhia tem sede mas Seattle mas a expansão de um segundo escritório principal em Nova Iorque foi comprometida por políticos que se opuseram devido aos benefícios fiscais que a empresa iria receber do Estado.
Comentários