Luz Saúde aumenta lucros para 9,4 milhões de euros

O grupo manteve a sua trajetória de crescimento orgânico combinado com a expansão geográfica da rede de cuidados privados.

O grupo hospitalar Luz Saúde registou, no final do primeiro semestre do ano, um aumento do resultado líquido atribuível aos acionistas de €9,4 milhões de euros, representando um crescimento de 7,7% face ao período homólogo; ao mesmo os rendimentos operacionais consolidados em 13,5% face a 2017, para 273,7 milhões de euros, impulsionado pelo crescimento de 15,8% do segmento privado e de 5,1% do segmento público, adiantou o grupo em comunicado oficial.

Do mesmo modo, o EBITDA consolidado atingiu os 28,8 milhões no primeiro semestre de 2018, representando um crescimento de 7,3% face a 2017 e a margem EBITDA de foi de 10,5% (menos 0,6 pontos percentuais face ao período homólogo) – sendo “de referir que o segmento público (Hospital Beatriz Ângelo, em Loures) continua deficitário”.

O investimento total foi de 34,5 milhões de euros, dos quais 24,2 milhões representam investimento de expansão da rede privada: construção de uma nova unidade em Vila Real; aquisição do grupo Idealmed (composto por um hospital e quatro clínicas ambulatórias na região de Coimbra); abertura de uma nova unidade em Odivelas; aumento da capacidade do Hospital da Luz Lisboa; e a remodelação do Hospital da Luz Funchal e do Hospital da Luz Torres de Lisboa.

No segmento privado, o EBITDA atingiu os 31,3 milhões, com a margem EBITDA a decrescer de 16,6% em 2017 para 15,1% em 2018. “Parte desta evolução deveu-se a uma pressão generalizada para redução de preços por parte de algumas entidades pagadoras relevantes”.

O comunicado refere ainda que “as unidades adquiridas no último ano ainda estão em processo de restruturação profunda, o que prejudica a margem no curto prazo. É de assinalar o investimento operacional, traduzido nesta fase em custos com pessoal, para reforço das estruturas de apoio à atividade de aquisições, ao desenvolvimento de novas áreas de negócio e de serviço ao cliente, formação especializada e centralização de serviços, a par de reestruturações de pessoal ao nível das unidades, em harmonia com a estratégia de aumento de capacidade.

No segmento público, a margem EBITDA evoluiu de forma positiva de menos 5,9% para menos 3,4%, “resultado da melhoria contínua da implementação de medidas de aumento de eficiência”.

Genericamente, “no primeiro semestre de 2018, a Luz Saúde manteve a sua trajetória de crescimento orgânico combinada com a expansão geográfica da sua rede de cuidados privados e a implementação de um ambicioso programa de expansão das unidades existentes que irão servir de base ao crescimento do grupo”.

Ler mais
Recomendadas

China convoca embaixador norte-americano após detenção de diretora da Huawei

A China convocou hoje o embaixador dos Estados Unidos em Pequim para protestar contra a detenção da diretora financeira da operadora de telecomunicações chinesa Huawei e pediu a Washington que abandone o pedido de extradição.

Greve vai parar Metro do Porto esta segunda-feira

Não foram decretados serviços mínimos. É a primeira vez em 16 anos de existência que a rede vai parar devido a uma greve.

Trabalhadores dos CTT lançam petição para Estado entrar no capital

No texto da petição, ao qual a Lusa hoje acesso, e que vai ser colocado a circular hoje a partir das 20:30, lê-se que desde que os CTT foram privatizados em 2014 que a ” empresa prossegue um caminho de desrespeito pelas obrigações da prestação de Serviço Público subjacentes à concessão em vigor entre o Estado e os CTT”.
Comentários