Madeira dá 1,5 milhões de euros em isenções fiscais a filha do ditador Obiang

Os observadores internacionais alertam para as relações privilegiadas de offshores da Madeira com praças financeiras pouco ou nada transparentes.

Francisca Nguema Jiménez, filha do presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema, já beneficiou de isenções fiscais de 1,5 milhões de euros por ter escolhido a Zona Franca da Madeira (ZFM) para abrir duas empresas. Os observadores internacionais alertam para as relações privilegiadas de offshores da Madeira com praças financeiras pouco ou nada transparentes, avança o jornal “Público”.

A eurodeputada socialista Ana Gomes escreveu uma carta à Comissão Europeia e à Autoridade Bancária Europeia a alertar para a presença de uma das empresas de Francisca Nguema Jiménez na Madeira: a Coralco. A empresa, cuja área de atividade se desconhece, foi criada em 2013 e, este ano, foi criada uma empresa igual a essa, com o nome Masela.

A Comissão Europeia está desde julho a fazer uma “investigação aprofundada” às isenções fiscais atribuídas pela ZFM durante o “regime III” (até dezembro de 2014). Foi nesse período que a Coralco foi criada e beneficiou do primeiro benefício fiscal. Além de não terem site, o gerente das duas empresas de Francisca Nguema Jiménez está ligado a mais 19 sociedades, todas com a mesma morada no Funchal.

Ana Gomes alerta, no documento que fez chegar a Bruxelas, que a presença de empresas da filha do presidente equato-guineense pode “ilustrar o branqueamento de capitais e os esquemas de evasão fiscal usados por esta PPE [Pessoas Politicamente Expostas] de uma cleptocracia”.

Recomendadas

Condutores em Angola contratam motoristas para fugir a multas por álcool

As inúmeras operações de combate à condução sob efeito de álcool, realizadas no último ano pela polícia angolana, abriu as portas a um novo negócio, que consiste em contratar um motorista para conduzir o carro apenas no perímetro controlado.

Inflação na China cresce 2,5% em setembro

A subida foi impulsionada pela evolução de 3,6% no preço médio dos alimentos, sobretudo vegetais (aumento de 14,6%) e das frutas frescas (aumento de 10,2%).

Brexit: acordo permanece impossível por causa da Irlanda

Tal como previam todos os analistas desde 2016, a questão das fronteiras entre as Irlandas é a mais difícil de ser ultrapassada. Theresa May falou esta noite com Emmanuel Macron na tentativa desesperada de encontrar apoios,
Comentários