Madeira: Iniciativa Liberal quer sistema fiscal próprio para atrair empresas

A Iniciativa Liberal diz que este sistemas fiscal próprio permitiria atrair empresas e com isso gerar uma economia mais “forte e pujante” na Madeira.

A Iniciativa Liberal considera urgente criar um sistema fiscal próprio na Madeira, com fiscalidade reduzida e impostos baixos, que permita atrair empresas de modo a que estas criem emprego e gerem uma economia mais forte e pujante.

Neste sistema fiscal próprio estariam incluídas todas as empresas instaladas na Madeira, onde se incluem as da Zona Franca, bem como todas aquelas que queiram investir na região, e ainda os cidadãos.

“Uma das marca da autonomia foi criação da Zona Franca. Apesar de todos os defeitos e problemas, continua a ser marca de referência em termos de desenvolvimento e de criar um nicho que contribua decisivamente para o orçamento”, disse Nuno Morna, da Iniciativa Liberal.

Nuno Morna disse ainda que um dos problemas relacionados com a Zona Franca prende-se com o facto de o Estado não cumprir com a sua tarefa de fiscalização. Nesse sentido a Iniciativa Liberal considera “urgente” que a região crie um fiscal fiscal próprio que permita atrair empresas para a Madeira e com isso gerar uma economia mais forte e pujante.

A Iniciativa Liberal disse ainda que é preciso respeitar as forças políticas mais pequenas e maiores. “Numa democracia não há escalonamento, há ideias e há debate e quando isso não acontece alguma coisa está mal na democracia”, afirmou Nuno Morna.

Recomendadas

Alojamento local reforça peso no turismo da Madeira

O alojamento local tem um peso de 16,4% nas dormidas na Madeira, enquanto que a hotelaria é responsável por 81,5% das dormidas no turismo regional.

Madeira: 38% dos beneficiários de subsídio de inserção têm menos de 25 anos

Verificaram-se ainda subidas nos beneficiários de abono de família para crianças e jovens, e na atribuição de subsídios por doença.

Madeira: Albuquerque reafirma que próximo Governo será para quatro anos

O líder do executivo madeirense disse que foi encontrada uma solução que representa “uma comunhão de vontades e uma união de esforços” para “um governo unido, coeso, consistente e com políticas para quatro anos”.
Comentários