Madeira perde população embora a ritmo mais desacelerado

Estes três primeiros meses do ano já contaram com 141 casamentos, menos oito do que no período homólogo.

No primeiro trimestre do ano o saldo natural (a diferença entre os óbitos e os nascimentos) da Região foi negativo, de -316. No entanto, comparando com o período homólogo (saldo natural de -366) verifica-se que a Madeira está a perder população, mas a um ritmo mais desacelerado.

Os dados da Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM) mostram que nasceram 466 bebés este ano na Madeira, número inferior aos 479 de 2018. Ou seja, nasceram menos 13 bebés nos primeiros meses do ano do que em 2018.

Contudo, também se registaram menos 63 óbitos do que em 2018. Este ano foram confirmados 782 óbitos, face aos 845 do ano passado.

Um dos óbitos registados tinha menos de um ano e não foram registados fetos mortos.

Os dados da DREM dizem ainda que estes três primeiros meses do ano já contaram com 141 casamentos, menos oito do que no período homólogo.

Recomendadas

Madeira está mais aberta à internacionalização mas ainda existem constrangimentos

O frete, a morosidade, e o valor acrescentado, foram alguns dos desafios identificados durante o debate sobre negócio internacional e fundos comunitários inserido na iniciativa Box Santander, que decorre na Praça do Município.

Pousada do Pestana em Câmara de Lobos é inaugurada hoje

Este empreendimento envolveu um investimento de quatro milhões de euros e a criação de 40 postos de trabalho.

Conservar alimentos no congelador: Dicas para bem comprar e congelar

Não se esqueça que para congelar alimentos o equipamento terá de apresentar quatro estrelas. Os congeladores de três servem apenas para conservar os produtos comprados já congelados.
Comentários