OE2019: Mais 10 euros para pensionistas em janeiro. PCP confirma acordo com Governo

PCP confirma acordo para aumento de pensionistas já em janeiro.

O PCP confirmou hoje um acordo com o Governo para novo aumento extraordinário dos pensionistas, num mínimo de 10 euros, já em janeiro de 2019, no âmbito das negociações para o Orçamento do Estado para 2019 (OE2019).

O anúncio deste novo aumento extraordinário foi feito esta quinta-feira por João Oliveira, líder da bancada parlamentar do PCP, pelo que desta forma, todos os pensionistas terão direito a um aumento mínimo de 10 euros já no início de 2019.

Nos anos de 2017 e de 2018 também houve aumentos extraordinários sendo que estas atualizações apenas foram refletidas em agosto.

Partido Comunista Português (PCP) e do Bloco de Esquerda (BE) já tinham manifestado o desejo de que houvesse uma subida mínima de 10 euros nas pensões já no início de 2019, pondo fim ao aumento extraordinário que nos últimos dois anos só foi aplicado a partir de agosto.

O PCP foi o primeiro partido que este mês anunciou ter feito esta proposta do aumento “de dez euros para as reformas e pensões”, de modo “a mitigar a perversão do mecanismo de atualização anual das reformas”.

Relacionadas

Reformados da banca custam ao Estado 500 milhões de euros anuais

Mais de metade dos fundos de pensões da banca já foi utilizada desde 2011, o que está a pesar cerca de 500 milhões de euros/ano na despesa pública.

Aumentos na função pública devem ser para todos, insiste Bloco de Esquerda

“Ter salários congelados há 15 anos não é forma de tratar nenhum trabalhador nem no Estado nem em nenhum setor da economia. Os salários devem ser atualizados”, realçou Catarina Martins.
Recomendadas

OCDE quer maior facilidade nos processos de insolvência em Portugal

No relatório sobre a economia portuguesa, a OCDE explica que a rendibilidade da banca melhorou, mas continua baixa e que o crédito malparado tem vindo a diminuir, mas continua elevado. Facilitar a liquidação de empresas insolventes e reduzir as restrições à sua saída do mercado estão entre as recomendações.

Subida de taxas de juro do BCE terá impacto negativo para famílias e empresas, alerta OCDE

OCDE considera que normalização da política monetária por Frankfurt poderá ter um impacto negativo para as despesas das famílias e empresas portuguesas. Consolidação orçamental é para manter, diz, e aconselha limitar o acesso às reformas antecipadas.

OCDE recomenda que Portugal suba os impostos sobre o gasóleo

OCDE considera que existe margem para aumentar a fiscalidade ambiental e que “tarifários nacionais de algumas fontes de energia não refletem os custos ambientais associados à sua utilização”. Promoção de utilização de transportes públicos e novas soluções de transporte partilhados são também recomendadas.
Comentários