Mais de 75% dos postos de abastecimento têm combustível

O Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas mantém-se isolado nesta paralisação, convocada por tempo indeterminado. Ao sétimo dia de greve, as atenções estão voltadas para o plenário destes trabalhadores, que se realiza este domingo à tarde.

greve_motoristas_gasolina_gasóleo_bomba

Às 11h00 deste domingo, 373 postos de combustível em Portugal encontravam-se sem gasolina ou gasóleo, o que representa apenas 12,3% do total de postos contabilizados (3.021), de acordo com a informação do website “Já Não Dá para Abastecer“. Há 2.280 postos de abastecimento nacionais em pleno funcionamento (75,4%) a meio desta manhã, enquanto 369 (12,2%) têm em falta gasolina ou gasóleo, operando de forma parcial.

Os motoristas de matérias perigosas cumprem hoje o sétimo dia de greve, isolados depois de o Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM) ter desconvocado a paralisação, o que motivou um agradecimento por parte do Governo. Segundo os dados recolhidos pela rede Vost Portugal (Voluntários Digitais Em Situações de Emergência) e o mapa publicado online, a zona Litoral Norte ainda é aquela que demonstra maiores problemas de abastecimento.

A greve, por tempo indeterminado, foi convocada pelo Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e pelo SIMM, tendo-se associado ainda o Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos do Norte (STRUN). O Governo decretou serviços mínimos entre 50% e 100% e declarou crise energética, aplicando, assim, “medidas excecionais” para minimizar os efeitos da paralisação e garantir o abastecimento de serviços essenciais como forças de segurança e emergência médica.

Recomendadas

Brexit: Barnier pede que não se subestime consequências de saída sem acordo

“Porque é que o ‘backstop’ é fundamental para todos nós? Porque é na Irlanda que o ‘Brexit’ causa mais problemas e riscos. É o único local onde o Reino Unido tem uma fronteira terrestre com a UE. O motivo da nossa insistência não é ideológico, é pragmático”, argumentou Barnier.

Risco de de Brexit sem acordo é “muito real”, avisa Juncker

A seis semanas da data de saída, 31 de outubro, Juncker disse que Boris Johnson mantém a sua posição de sair da União Europeia, com ou sem acordo.

Brexit: Juncker recorda a Johnson que cabe ao Reino Unido apresentar propostas

O presidente Juncker sublinhou a permanente disponibilidade e abertura da Comissão para examinar se essas propostas correspondem aos objetivos do ‘backstop’”.
Comentários