Mais de metade dos portugueses não confiam em fazer compras pela internet

Entre os consumidores que já aderiram às compras pela internet, 65% destacam como grande vantagem a comodidade. Por outro lado, 44% vê nas devoluções o maior entrave no ‘e-commerce’.

Mais de metade dos portugueses (57%) não sente confiança/segurança para fazer compras através da internet, de acordo com um estudo divulgado pelo Observador Cetelem esta segunda-feira, que procura conhecer as vantagens e os inconvenientes das compras online.

Apesar do e-commerce ter registado um crescimento nas últimas décadas em Portugal, 68% dos consumidores nacionais ainda não aderiu à opção de comprar a partir de um computador. Dos 57% que dizem não sentir confiança/segurança para comprar online, 27% atribuem ao facto de disponibilizar dados pessoais como motivo para não fazerem compras pela internet e 7% colocam em causa a qualidade dos produtos vendidos nas plataformas.

A segunda causa que leva os portugueses a não comprar pela internet, deve-se ao prazer de comprar em lojas físicas (38%) e querer ver/experimentar o que compra (28%). A terceira e quarta razões estão relacionadas com a falta de acesso à internet (16%) e com as questões de venda e pós-venda, como processo de compra (9%) e de entregas (7%).

Por outro lado, 65% dos inquiridos destacam a comodidade, como a principal vantagem de fazer compras a partir do computador. Logo de seguida, segue-se o evitar de deslocações (55%) e as multidões nas lojas (53%). Contudo, uma das maiores dificuldades apontadas pelos consumidores, no momento de comprar online prende-se com as devoluções (44%).

O tempo de espera até receber o produto e o medo de danos durante o transporte, são outros fatores de inoportunos de compras pela internet para 33% dos consumidores portugueses. De realçar também que 31% dos portugueses, dizem não confiar na qualidade dos artigos que se encontram para venda online e 29% diz não ter informações necessárias sobre os mesmos.

Recomendadas

Está a pensar fazer obras em casa? Saiba quais as autorizações necessárias

Realizar obras em casa já não exige as formalidades obrigatórias de outros tempos, mas continuam a existir alguns casos em que são necessárias algumas autorizações, como por exemplo fechar uma varanda ou derrubar as paredes interiores do prédio.

Crédito Agrícola é o primeiro banco português a disponibilizar o Apple Pay

O banco garante que a utilização desta funcionalidade não tem qualquer custo para o utilizador e a aceitação de pagamentos através do Apple Pay não representa custos adicionais para o comerciante.

Taxas Euribor renovam mínimos de sempre a três e seis meses e sobem a 12 meses

A taxa Euribor a seis meses desceu hoje para -0,350%, novo mínimo de sempre e menos 0,007 pontos que na sessão anterior.
Comentários