Mais nove mortos em protestos no Irão, avança a televisão estatal

Pelo menos nove pessoas morreram em confrontos entre manifestantes e forças de segurança do Irão, noticiou hoje a televisão estatal iraniana .

Morteza Nikoubazl/REUTERS

A televisão indicou que pelo menos 20 pessoas morreram em cinco dias de manifestações.  De acordo com a mesma fonte, seis pessoas foram mortas durante um ataque contra uma esquadra da polícia na cidade de Qahdarijan.

Os confrontos começaram quando manifestantes tentaram roubar armas da esquadra, indicou.  A televisão estatal iraniana acrescentou que um rapaz de 11 anos e um homem de 20 foram mortos na cidade de Khomeinishahr, enquanto um membro dos Guardas da Revolução morreu na cidade de Najafabad.
Aquelas cidades situam-se na província de Isfahan, no centro do país, a cerca de 350 quilómetros a sul de Teerão.

Os protestos começaram na quinta-feira passada na cidade de Mashhad, inicialmente contra a subida dos preços dos alimentos e a corrupção.
As manifestações alastraram entretanto várias cidades do país, com palavras de ordem contra o Governo e o líder supremo, ‘ayatolah’ Ali Khamenei.

Relacionadas

Trump pede mudança no Irão

O presidente dos Estados Unidos da América refere que o Irão está a falhar a todos os níveis e que o povo tem fome de alimentos e de liberdade.

Protestos no Irão provocam 10 mortes

A Associated Press diz que as forças de segurança do governo impediram que manifestantes armados tomassem de assalto esquadras de polícia e bases militares.

Irão bloqueia aplicações de ‘social media’ face a protestos

O ministro do Interior do Irão esclareceu que não vai tolerar o alastrar da violência, medo e terror. O The Guardian refere que são esperados mais protestos este domingo.
Recomendadas

“Ele soa como nós”. Ex-líder do Klu Klux Klan elogia Bolsonaro

“Ele é sem dúvida um descendente europeu. Parece-se com qualquer homem branco nos EUA, em Portugal, Espanha ou Alemanha e França”, qualificou o David Burke, ex-líder do Klu Klux Klan.

Dívida pública de Angola estimada em 70 mil milhões de dólares

Situação foi relatada hoje pela secretária de Estado para o Orçamento de Angola, Aia Eza da Silva, quando procedia a apresentação do Quadro Macroeconómico 2019 e os Limites da Despesa para Elaboração do Orçamento Geral do Estado (OGE) 2019.

Bolsonaro cresce nas intenções de voto, revela sondagem

Bolsonaro é o favorito à vitória na 2ª volta das eleições do Brasil. Francisco Haddad só leva a melhor entre os mais pobres e entre os eleitores do nordeste do Brasil. Brasileiros voltam às urnas dia 28.
Comentários