Manuel Pinho poderá ter usado perdão fiscal para limpar ‘luvas’ do BES

O Ministério Público, que se encontra a investigar o caso EDP, pretende ter os documentos no caso GES sobre a adesão do ex-ministro da Economia ao Regime Excecional de Regularização Tributária.

José Sena Goulão / Lusa

O Ministério Público (MP) suspeita que Manuel Pinho tenha aderido aos perdões fiscais dos Governos de José Socrates e Pedro Passos Coelho para legalizar o dinheiro pago pelo Banco Espírito Santo (BES), segundo revela a edição de segunda-feira, 24 de setembro, do “Correio da Manhã” (CM).

Segundo o CM, os procuradores que se encontram a investigar o caso EDP terão conhecimento da existência de provas no processo de investigação ao Grupo Espírito Santo (GES), de que o ex-ministro da Economia aderiu ao Regime Excecional de Regularização Tributária (RERT) III, que foi aplicado pelo executivo de Pedro Passos Coelho em 2012, mas suspeitam também de que terá aderido aos perdões fiscais criados durante o mandato de José Socrates.

Entre 2002 e 2014, Manuel Pinho terá alegadamente recebido da Espírito Santo (ES) Enterprise o ‘saco azul’ do GES, por via de sociedades offshore, mais de três milhões de euros. De março de 2005 a junho de 2009, período em que foi ministro da Economia, Manuel Pinho terá recebido do GES perto de 15 mil por mês.

Relacionadas

Do Marquês ao e-toupeira: Sete processos que marcaram o mandato de Joana Marques Vidal

Da política, passando pelas empresas, até ao desporto, nenhum sector escapou às investigações criminais do MP. Estes foram os processos mais mediáticos que marcaram o mandato da procuradora-geral.

PremiumComissão às rendas excessivas acelera audições antes de pausa para o OE

O ex-ministro da Economia Manuel Pinho fecha a lista de 11 novas convocatórias, a 17 de outubro, data em que a comissão parlamentar para os trabalhos para o debate sobre o Orçamento do Estado (OE) para 2019.

Comissão parlamentar quer ouvir Manuel Pinho em 17 de outubro

Fonte parlamentar adiantou à agência Lusa que para 17 de outubro ficou agendada a audição do ex-ministro da Economia Manuel Pinho, sendo esta a última data deste lote de inquirições previstas.
Recomendadas

Negócios com Islândia, Noruega e Liechtenstein têm fundos de mais dois milhões

A economia do mar, a mobilidade e a saúde mental são algumas das áreas que poderão ser financiadas pelo Fundo de Relações Bilaterais.

Consumidores nacionais preferem vinho tinto, em casa, com familiares e amigos

Segundo o estudo da consultora Levelsource, o local preferido de compra de vinhos varia entre os hipermercados e supermercados (47%), as lojas de vinhos (28%), compra direta aos produtores (15%), ‘sites’ e mercearias (comércio tradicional), por exemplo (10%).

Pesca em 2019 na União Europeia discutida terça-feira

A proposta avançada pela Comissão Europeia prevê a redução dos totais admissíveis de capturas em 22 unidades populacionais, incluindo a pescada em águas continentais e dos arquipélagos, a arinca e o lagostim.
Comentários