Marcelo, António Costa e Jorge Carlos Fonseca chegam no mesmo avião a Cabo Verde

“A partir deste momento, as comemorações são em Cabo Verde”, disse Jorge Carlos Fonseca, à chegada à Cidade da Praia.

António Cotrim / Lusa

O chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, o primeiro-ministro, António Costa, e o presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, chegaram esta segunda-feira juntos, no mesmo avião, a Cabo Verde, para prosseguir as comemorações do Dia de Portugal.

“A partir deste momento, as comemorações são em Cabo Verde”, declarou Jorge Carlos Fonseca, à chegada à Cidade da Praia, considerando “uma grande honra” que o Estado português tenha decidido comemorar o seu dia nacional em território cabo-verdiano.

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, também viajou no mesmo Falcon da Força Aérea Portuguesa, que aterrou no Aeroporto Internacional Nelson Mandela perto das 17:40 locais (19:40 em Lisboa), confirmou a Lusa junto de fonte da Presidência da República.

As comemorações do 10 de Junho tiveram início em Portalegre, onde Jorge Carlos Fonseca também esteve, hoje de manhã, a assistir à cerimónia militar, na qual, simbolicamente, houve uma representação das Forças Armadas de Cabo Verde.

Em breves declarações no aeroporto, com Marcelo Rebelo de Sousa ao seu lado, o Presidente de Cabo Verde falou numa “grande cumplicidade entre os dois países”, acrescentando: “O relacionamento é excelente. Há uma grande sintonia quanto a valores essenciais, a visão que temos do mundo, entre responsáveis políticos portugueses e cabo-verdianos”.

Em seguida, o Presidente português concordou que existe “convergência que, sendo de princípios, de valores, como foi dito, é antes do mais de pessoas”.

“Nós gostamos muito uns dos outros, nós damo-nos muito bem. Muito obrigado, senhor Presidente, por nos receber aqui”, afirmou, dirigindo-se para o seu homólogo cabo-verdiano.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, as comemorações do 10 de Junho em Cabo Verde representam “um duplo encontro, um encontro de Portugal com as portuguesas e os portugueses da diáspora” na “pátria irmã de cabo Verde” – que são, no total, cerca de 21 mil, espalhados por várias ilhas – “e, ao mesmo tempo, um encontro entre Cabo Verde e Portugal”.

“Estamos espalhados pelo mundo em diásporas que quase se sobrepõem: onde existe um cabo-verdiano existe um português, onde existe um português, existe um cabo-verdiano. E é assim há muito, muito tempo”, referiu.

Ler mais
Relacionadas

Comemorações do 10 de Junho terminam em Cabo Verde

Entre o desfile das Forças Armadas, um passeio a pé, um concerto do cantor cabo-verdiano Tito Paris e da fadista portuguesa Raquel Tavares ou a inauguração de um parque desportivo, a agenda de Marcelo Rebelo de Sousa e dos governantes e deputados que o acompanham está preenchida.

Marcelo preside hoje às comemorações entre Portalegre e Cabo Verde

As comemorações do Dia de Portugal terminam com uma receção à comunidade portuguesa, num hotel do Mindelo, na terça-feira ao fim do dia.
Recomendadas

Empresários russos interessados em investir nas pescas em Cabo Verde

“Ficaram de fazer uma visita a Cabo Verde antes do final do ano para recolherem dados mais precisos e assim poderem preparar o seu projecto definitivo”, disse o ministro do Turismo e da Economia Marítima cabo-verdiano.

Presidente promulga com “dúvidas” venda de banco da Caixa em Cabo Verde

A CGD está a vender o Banco Comercial do Atlântico, um dos dois detidos pelo grupo bancário público em Cabo Verde, mantendo a sua participação no banco Interatlântico.

Ilha do Fogo vai acolher 10ª reunião do Conselho de Ministros do Turismo da CPLP

“Cabo Verde tem feito o gesto de abrir cada vez mais a nossa fronteira com a isenção de vistos, mas ainda estamos longe de ter este nível de correspondência dos demais países”, diz o ministro do Turismo cabo-verdiano.
Comentários