Marcelo veta nova lei do financiamento dos partidos

Numa nota divulgada no site da presidência, Marcelo Rebelo de Sousa revela que o veto tem como base “a ausência de fundamentação publicamente escrutinável quanto à mudança introduzida no modo de financiamento dos partidos políticos”,

“O Presidente da República decidiu devolver, sem promulgação, o Decreto da Assembleia da República n.º 177/XIII, respeitante ao financiamento partidário, com base na ausência de fundamentação publicamente escrutinável quanto à mudança introduzida no modo de financiamento dos partidos políticos”, refere a nota publicada no site da presidência.

“Desta decisão deu Sua Excelência o Presidente da República conhecimento pessoal a Sua Excelência o Presidente da Assembleia da República, só devendo a correspondente carta dar entrada amanhã na Assembleia da República”, adianta.

[Em atualização]

Relacionadas

Marcelo já teve alta e decide nos próximos dias sobre diploma do financiamento dos partidos

O Presidente da República esclarece que irá tomar uma decisão sobre o diploma do financiamentos dos partidos políticas na altura e no momento em que entender.

“Amplo consenso” deu origem às alterações ao financiamento dos partidos, sublinha Costa

O primeiro-ministro defendeu hoje que as alterações à lei de financiamento dos partidos visaram aclarar dúvidas do Tribunal Constitucional e não aumentar isenções de IVA, resultando no mais “um amplo consenso” na matéria de que se recorda.

Movimentos autárquicos de cidadãos consideram lei do financiamento dos partidos “uma vergonha”

A Associação Nacional dos Movimentos Autárquicos Independentes realça ainda que se tem batido nos últimos anos contra a “discricionariedade do financiamento das campanhas eleitorais autárquica, dado que os grupos de cidadãos eleitos (GCE) pagam 23% de IVA e os partidos estão isentos desse pagamento”.

Entidade das Contas duvida da aplicação retroativa

Presidente da Entidade das Contas diz que reforço de meios é “incontornável” e tem dúvidas quanto à aplicação da nova lei nos processos pendentes.

Financiamento partidário: Tribunal Constitucional recusa comentar mudanças e diz que lei dá resposta na fiscalização

O presidente do Tribunal Constitucional recusou comentar as alterações ao financiamento partidário alegando que aquele órgão não é um “agente político” mas considerou que as mudanças à fiscalização dão resposta no essencial às preocupações que tinha manifestado.
Recomendadas

Sindicato dos estivadores recusa reunir com o Governo

O Sindicato dos Estivadores Conferentes e Tráfego dos Portos do Douro e Leixões recusa-se a comparecer na reunião desta quinta-feira com a ministra do Mar, em Matosinhos, que diz servir para tentar um acordo com outro sindicato.

Respostas Rápidas. O que vai mudar nas reformas antecipadas?

As contas para a reforma são sempre complicadas, não só por causa da complexidade do sistema, qualquer que ele seja, mas porque os parâmetros estão constantemente a mudar. O ministro Vieira da Silva veio clarificar a lei.

PremiumPersistem dúvidas sobre o aumento salarial dos funcionários públicos

Centeno reiterou que só há 50 milhões de euros para os aumentos salariais. PCP remete para negociação com sindicatos, BE vai insistir na especialidade.
Comentários