Mário Centeno reúne-se com governo italiano

O presidente do Eurogrupo vai reunir-se esta sexta-feira, em Roma, com o primeiro-ministro e com o ministro das Finanças de Itália, a menos de uma semana do final do prazo dado por Bruxelas para apresentação de um novo orçamento.

Cristina Bernardo

 

O presidente do Eurogrupo vai reunir-se esta sexta-feira, em Roma, com o primeiro-ministro e com o ministro das Finanças de Itália, a menos de uma semana do final do prazo dado por Bruxelas para apresentação de um novo orçamento.

Durante a conferência de imprensa de apresentação das previsões económicas de outono da Comissão Europeia, na quinta-feira, o comissário dos Assuntos Europeus, Pierre Moscovici, anunciou que Mário Centeno iria hoje a Roma e fez votos para que a deslocação “dê resultados”.

Na conta de Mário Centeno na rede social Twitter constava a agenda da deslocação, que prevê um primeiro encontro, às 12:30 locais (11:30 de Lisboa), com o ministro das Finanças italiano, Giovanni Tria – que será seguido de uma conferência de imprensa -, e uma segunda reunião, às 15:30 (14:30 de Lisboa), com o chefe de Governo, Giuseppe Conte.

Fonte do Eurogrupo indicou à Lusa que a deslocação se realiza no quadro de algumas visitas que o presidente do fórum de ministros das Finanças da zona euro efetua a capitais europeias para preparar a cimeira do euro de dezembro próximo, na qual são esperadas decisões sobre a reforma da área do euro, sendo que, naturalmente, a questão do projeto orçamental italiano para 2019 estará também sobre a mesa.

Na conferência de imprensa, na quinta-feira, em Bruxelas, Moscovici apontou que “Centeno leva uma mensagem clara, a de que os ministros apoiam a análise da Comissão Europeia”.

Moscovici referia-se à reunião da passada segunda-feira do Eurogrupo, em Bruxelas, na qual os ministros das Finanças da zona euro apoiaram o executivo comunitário na sua decisão de solicitar a Itália um novo projeto orçamental para 2019 e “convidaram” Roma a cooperar com Bruxelas.

Na conferência de imprensa no final da reunião, que teve entre os pontos em agenda uma “discussão política” sobre o “chumbo” do orçamento italiano, Mário Centeno comentou que, embora inédita, a decisão da Comissão de solicitar a um Estado-membro um projeto orçamental revisto é legítima, pois está prevista nas regras, que a Comissão está assim a “implementar”.

“Os ministros apoiaram a Comissão na sua avaliação e convidaram Itália a cooperar de perto com a Comissão na elaboração de um plano orçamental revisto que esteja em linha com as nossas regras orçamentais”, disse Mário Centeno.

Lembrando que Itália tem até 13 de novembro para submeter um projeto orçamental revisto, o presidente do Eurogrupo disse esperar “que o diálogo construtivo em curso dê frutos” e que o governo italiano apresente um novo documento que tranquilize “os parceiros europeus e participantes nos mercados” relativamente ao seu compromisso com finanças públicas sólidas.

O executivo italiano de coligação populista, que inclui o Movimento Cinco Estrelas (M5S) e a Liga, enviou em 15 de outubro a Bruxelas um plano orçamental em que prevê um défice de 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB) para 2019, tendo a Comissão pedido esclarecimentos sobre o projeto, dado este conter “uma derrapagem sem precedentes”.

Em resposta, Roma reafirmou as suas metas, ainda que reconhecendo que as mesmas não estavam de acordo com as regras, pelo que o executivo comunitário decidiu tomar uma decisão também ela sem precedentes e “chumbar” o projeto orçamental, reclamando a sua reformulação.

Se o governo italiano se recusar a apresentar até 13 de novembro um novo projeto orçamental “em linha com as regras”, a Comissão deverá propor ao Conselho a imposição de sanções.

Ler mais
Relacionadas

Itália vai crescer moderadamente mas incertezas são mau presságio

O crescimento da economia italiana deverá acelerar moderadamente a partir deste ano, mas a incerteza das políticas governamentais e o planeado recuo das reformas estruturais são um mau presságio, segundo as previsões da Comissão Europeia hoje divulgadas.

Moscovici insiste que a Itália tem de cumprir as regras europeias no orçamento

“Não pode haver negociação nessa matéria”, afirmou o comissário europeu quando falava sobre as dúvidas que existem quanto ao crescimento da economia italiana.
Recomendadas

PSD junta-se ao CDS na moção de censura ao Governo

O PSD reconhece que a moção de censura “não tem qualquer efeito prático”, mas que vai “repetir as critícas que tem vindo a fazer ao Governo” e que vai votar a favor de uma censura “à política socialista”.

Governo autoriza promoções de 1.514 militares na GNR

“Considera-se imprescindível garantir o bom funcionamento da instituição através, nomeadamente, da promoção dos seus militares ao posto imediato”, segundo o despacho do Governo publicado hoje.

Delegação do Parlamento Europeu impedida de entrar na Venezuela

A delegação estava composta pelos eurodeputados Esteban González Pons, José Ignácio Salafranca Sánchéz-Neyra e Juan Salafranca. Dela fazia parte também o eurodeputado português Paulo Rangel, que perdeu o voo de ligação entre Madrid e Caracas.
Comentários