Mário Soares no Panteão merece “dúvidas, para não dizer reservas”, considera CDS-PP

Nuno Magalhães, líder parlamentar do partido, diz que o projeto-lei do PS e do PSD é feito à medida de Mário Soares. O fundador do PS é o único Presidente da democracia que já não se encontra vivo.

O projeto-lei do PS e do PSD que concede honras de Panteão Nacional a todos os ex-Presidentes da República dois anos após a sua morte merece “dúvidas, para não dizer reservas” do CDS-PP.

Intervindo esta manhã no Fórum da TSF, Nuno Magalhães, líder parlamentar do CDS-PP, disse que estas honras deveriam ser, como atualmente, determinadas pela “relevância dos feitos em nome de Portugal que certa individualidade fez”, e não em função do “cargo que desempenhou”. Está a criar-se um “privilégio para os chefes de Estado”, disse Nuno Magalhães.

Para o deputado do CDS, o projeto, apesar de estar desenhado para ex-Presidentes falecidos, visa no entanto apenas um “caso concreto”, o de Mário Soares – ou seja, é uma lei “feita à medida”. Mas isso é apenas porque Mário Soares é o único Presidente da era da democracia que já morreu, sendo que o projeto-lei não prevê, que se saiba, qualquer exceção.

De qualquer modo, para Nuno Magalhães, “não está em causa a pessoa de Mário Soares, que, indiscutivelmente, teve um percurso marcante e relevante nos últimos 50 anos da história de Portugal (nas coisas boas e nas coisas más); está, sim, em causa o princípio”, justificou.

A questão dos portugueses que devem dar entrada no Panteão Nacional tem levantado as mais diversas polémicas e nunca consegue ser consensual – com algumas exceções. De qualquer modo, e sendo o projeto-lei apresentado pelo PS e pelo PSD, a sua aceitação não está em causa.

Recomendadas

Santana quer Aliança entre “maiores partidos e aumentar “mercado eleitoral” do centro-direita

“Se tiver no mercado eleitoral, em vez de duas ofertas, três ofertas válidas, há condições para esse espaço político conseguir mais votos do que só com duas”, garantiu Pedro Santana Lopes.

Rui Rio diz que “não ficaria surpreendido” com a recondução de Joana Marques Vidal

Líder do PSD salienta que tem feito “um esforço muito grande não pela não politização, mas pela não partidarização” da nomeação para a Procuradoria-Geral da República.

Respostas Rápidas: O PSD propõe a privatização total do SNS?

A “Reforma Estrutural do SNS” apresentada pelo PSD aponta para o fornecimento de cuidados de saúde pelos setores público, privado e social, abrindo o caminho para o estabelecimento de mais Parcerias Público-Privadas.
Comentários