Martin Schulz abandona presidência do SPD após acordo com Merkel

Martin Schulz anunciou que vai deixar a liderança do SPD (Partido Social-Democrata), no mesmo dia em que chegou a acordo com Merkel para uma coligação que tira a Alemanha da incerteza política.

Martin Schulz anunciou que irá abandonar a presidência do SPD, partido social-democrata da Alemanha, quando ainda não perfez um ano de liderança deste partido que hoje anunciou uma coligação que irá governar a Alemanha.

Schulz, de 62 anos, irá ocupar a pasta de ministro dos Negócios Estrangeiros no próximo Governo considerando assim que fica sem condições para assegurar o “processo de renovação” do partido.

O ex-presidente do Parlamento Europeu Martin Schulz foi escolhido a 19 de março de 2017 como líder do Partido Social-Democrata (SPD) alemão, recebendo uma unanimidade total, com uma percentagem de 100% dos votos dos delegados ao congresso extraordinário do partido, uma percentagem pouco habitual em sistemas políticos democráticos.

“Considero que este resultado é o início da conquista da chancelaria”, declarou na altura o ex-presidente do Parlamento Europeu.

Este político assumiu-se como o candidato a chanceler da Alemanha nas legislativas de 24 de setembro, depois de anunciado o resultado desta votação.

Schulz sucedeu na liderança do SPD a Sigmar Gabriel.