Mega negócio em Nova Iorque: quem dá 800 milhões pelo edifício Chrysler?

Fundo de investimento dos Emirados Árabes Unidos, em conjunto com a empresa americana Tishman Speyer, lideram o negócio do arranha-céus de 77 andares que foi construído entre 1928 e 1930.

O emblemático edifício da Chrysler em Nova Iorque, nos Estados Unidos encontra-se para venda por 800 milhões de dólares (693 milhões de euros), naquele que é já considerado um dos maiores negócios na história do setor imobiliário, de acordo com o “The Wall Street Journal”.

Na liderança desta mega-operação está um fundo de investimento dos Emirados Árabes Unidos e a empresa nova-iorquina, Tishman Speyer, que contrataram a consultora imobiliária CBRE para a venda do edifício da fabricante de automóveis.

Vários especialistas do setor imobiliário acreditam que o edifício da Chrysler poderá ter alguma dificuldade para ser vendido por 800 milhões dólares, do qual o fundo de Abu Dhabi pagou 90% de uma participação na propriedade em 2008, pouco antes da crise financeira ter feito cair o preço dos imóveis nos Estados Unidos.

Os custos das melhorias e manutenção para a construção do edifício com quase 90 anos, bem como o aumento das taxas de renda do terreno por baixo do edifício, também podem influenciar o preço da venda.

“Pode haver um multimilionário que apareça e diga: “Eu quero dizer ao mundo que sou o proprietário do edifício Chrysler”, afirmou Adelaide Polsinelli, vice-presidente da divisão de vendas e arrendamento comercial da empresa de serviços de investimento Compass.

Construído entre 1928 e 1930

Projetado por William Van Alen, este arranha-céus de 77 andares foi construído entre 1928 e 1930 no meio de um concurso para se tornar o edifício mais alto do mundo. O fundador da Chrysler, Walter P. Chrysler, assumiu o projeto.

O edifício da Chrysler foi o maior do mundo por um curto espaço de tempo, após ter sido ultrapassado pelo Empire State Building, concluído em 1931. Este edíficio serviu como sede da Chrysler até 1953 e continuou a ocupar o seu lugar na cultura popular americana, aparecendo em vários filmes como o Dia da Independência e Homem-Aranha.chrysler

Ler mais
Recomendadas

PremiumFreeport Outlet prevê crescimento de 25% na faturação este ano

Nuno Oliveira, responsável pelo espaço, revela que turistas comunitários e extracomunitários já representam 20% da faturação.

Quinta da Bacalhôa compra imóvel de 30 mil metros quadrados em Azeitão

O imóvel comprado pela holding da família Berardo para os vinhos e o enoturismo pode dar origem a um mega-espaço cultural denominado Bacalhôa Berardo Collection (BBC) ou até para albergar a Coleção Berardo, caso o acordo com o Estado termine em 2022.

Remax Portugal “tem sido um exemplo para muitos países”, sublinha Manuel Alvarez

Depois de investir na Remax França dois milhões de euros, Manuel Alvarez define como objetivos já para este ano, a abertura de 50 a 60 novas franquias em terras gaulesas.
Comentários