Mega operação da PJ para desmantelar Hells Angels. Há cerca de 50 detidos

Mega operação policial de norte a sul do país contra o grupo internacional Hells Angels, já levou a cerca de 50 detenções. Estão em causa crimes de tentativa de homicídio, roubo e associação criminosa.

Ler mais

A Polícia Judiciária (PJ)  desencadeou nesta quarta-feira, 11 de julho, uma megaoperação contra o grupo de motards, com 55 mandados de detenção e 80 de buscas, que já resultou em cerca de 50 detenções, sabe o Jornal Económico. A operação ainda está no terreno e insere-se no âmbito de vários inquéritos em que se investigam as atividades ilícitas desenvolvidas em território nacional pelos Hells Angels .

Dos 55 mandados de detenção, já foram executados cerca de 50, segundo fonte próxima ao processo. Entre os detidos estão os fundadores Francisco Gouveia e Eduardo Pereira, líderes do grupo de motards na margem sul.

Segundo a revista Sábado, também Nuno Monteiro, um dos skinheads condenados pelo assassinato de Alcindo Monteiro em 1997 também está na mira das autoridades.

A PJ lançou, nesta quarta-feira, 11 de julho, uma operação de norte a sul do país contra o grupo internacional Hells Angels, tendo já confirmado, em comunicado, que em causa estão “atividades ilícitas desenvolvidas em território nacional pela organização Hells Angels Motorcycle Club” e que a operação desenvolvida visa “o completo desmantelamento” desta “violenta associação criminosa”.

As detenções realizadas referem-se, segundo a PJ, a “suspeitos de integrarem esta estrutura criminosa, constituída por indivíduos extremamente perigosos, com vastos antecedentes criminais e larga experiencia na área da criminalidade violenta e organizada”.

Numa nota divulgada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), o Ministério Público adianta, por seu turno, que estão envolvidos nas operações “400 elementos da Polícia Judiciária”, que atuaram através da Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT), dirigida pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

De acordo com a PGR, os detidos vão ser presentes a interrogatório judicial, para a aplicação de medidas de coação, já a partir desta quinta-feira.

A operação da PJ, que estava programada há cerca de um mês, foi desencadeada após indícios de uma escalada de violência entre dois grupos rivais, os Hell Angels e os Red  Gold (com ligações aos europeus Los Bandidos, rivais históricos dos HA) liderado pelo antigo dirigente de extrema-direita, Mário Machado.

 

Relacionadas

Hells Angels: PGR confirma operação para desmantelar associação criminosa

A Polícia Judiciária desencadeou nesta quarta-feira, 11 de julho, uma megaoperação contra o grupo de motards, com 55 mandados de detenção e 80 de buscas. A operação insere-se no âmbito de vários inquéritos em que se investigam as atividades ilícitas desenvolvidas em território nacional pelos Hells Angels.

PSP deteve quatro elementos conotados com Hells Angels antes de rixa em Loures

A PSP deteve há cerca de três semanas, numa ação de combate ao crime violento, em Lisboa, quatro elementos conotados com o grupo de motards Hells Angels e apreendeu diversas armas ilegais, disse à Lusa fonte policial.
Recomendadas

Ministério Público suspendeu operações bancárias no valor de 200 milhões este ano

O diretor do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), Amadeu Guerra, num balanço do projeto ETHOS, revelou que “o valor das suspensões de operações bancárias em inquérito foi, já este ano, de cerca de 200 milhões de euros”, valor muito superior aos 16 milhões arrecadados no ano passado.

Polémica. Concurso para publicidade exterior gera ‘guerra’ entre MOP e autarquia de Lisboa

A Multimedia Outdoors Portugal apresentou junto do Tribunal Administrativo o documento para impedir a adjudicação, pela Câmara Municipal de Lisboa, de uma proposta que é ilegal e menos vantajosa no concurso para a concessão da publicidade exterior.

Joana Marques Vidal: “Há um vasto caminho a percorrer no combate à corrupção”

A Procuradora-Geral da República falou à margem de uma conferência sobre a corrupção e preferiu não comentar a escolha de Lucília Gago, como sua substituta no cargo.
Comentários