Mercadona apresenta ‘laboratório de ideias’ alimentares a ministro da Economia

Em 2016, a Mercadona comprou 56 milhões de euros de produtos a empresas portuguesas, assumindo-se como uma alavanca para a entrada de produtos portugueses em Espanha.

Ana Teresa Lehmann, Secretária de Estado da Indústria, Paulo Alexandre Ferreira, Secretário de Estado Adjunto e do Comércio, Manuel Caldeira Cabral, Ministro da Economia, Elena Aldana, Directora de Relações Externas de Mercadona em Portugal e Eduardo Pinheiro, Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos
Ler mais

O Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, visitou hoje, com outras autoridades, o Centro de Coinovação que a Mercadona está a desenvolver em Matosinhos (Grande Porto), como um dos investimentos iniciais do grupo espanhol na preparação da entrada no mercado interno com a abertura de grandes superfícies.

O Centro de Coinovação da Mercadona, com mais de 1.000 metros quadrados de espaço e, segundo um comunicado da cadeia de distribuição espanhola, “está destinado a estudar, em constante colaboração com os clientes, os hábitos e preferências do consumidor português para desenvolver uma gama de produtos eficaz e inovadora”.

Esta visita contou também com a presença do secretário de Estado do Comércio, Paulo Ferreira; da secretária de Estado da Indústria, Ana Teresa Lehmann; e do presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Eduardo Pinheiro.

No decorrer da visita, a Mercadona apresentou aos assistentes o trabalho que realizará a partir deste “grande laboratório de ideias”, onde a empresa vai desenvolver, com a colaboração do “Chefe” (como a cadeia denomina o cliente), a sua gama de produtos em Portugal.

A Mercadona explicou como impulsiona neste centro o seu Modelo de Coinovação segundo a denominada “Estratégia Avental”. “Através desta estratégia, a Mercadona dispõe de especialistas que se encarregam de captar as necessidades dos clientes, escutar e observar os seus gostos e preferências. Este processo permite, posteriormente, transmitir toda essa informação aos fornecedores especializados para que, dependendo do caso, se melhorem os produtos ou se desenvolvam novas soluções inovadoras que, em muitas ocasiões, se convertem num êxito de vendas, comprovando que a agilidade em inovar e criar novos produtos depende da capacidade de colaborar e aprender com as experiências dos clientes mediante uma verdadeira ‘cultura de inovação'”, esclarece o referido comunicado.

Este Centro de Coinovação da Mercadona junta-se aos 13 centros deste tipo que a cadeia tem em Espanha e está localizado na Avenida Menéres, em Matosinhos.

Dispõe tanto de salas de degustação de produto, cozinhas e outros espaços que simulam as casas dos “Chefes” (clientes) para as sessões participativas com os mesmos.

Segundo as palavras do Ministro da Economia, “este investimento mostra a confiança da Mercadona em Portugal e abre oportunidades às empresas portuguesas para fornecerem novos produtos a este grupo, não  só no mercado português mas em todo o mercado ibérico onde a rede tem já 1.614 supermercados a operar”.

“Em 2016, a Mercadona comprou 56 milhões de euros a empresas portuguesas. É por isso uma enorme alavanca para a entrada de produtos portugueses em Espanha”, destacou o governante

Por sua vez, o presidente da Câmara de Matosinhos garantiu que “o investimento que a Mercadona está a fazer em Matosinhos reveste-se de uma grande importância, seja pelo seu potencial de regeneração do antigo centro industrial da cidade, de criação de postos de trabalho qualificado, seja pela aposta na valorização dos produtos nacionais e locais, com o necessário impacto direto na economia de Matosinhos”.

“Mas trata-se, acima de tudo, de uma aposta na inovação e na criação de um laboratório de ideias que, a partir de Matosinhos, contaminará as outras lojas da empresa com o resultado do ambiente criativo da cidade, do conhecimento que aqui produzimos e da inovação em que Matosinhos tem procurado especializar-se, nisto se empenhando de forma estratégica”, acrescentou o autarca.

Recomendadas

“Crescimento da Mercadona virá de Portugal”, assume presidente do grupo

O líder da distribuição em Espanha está a atingir o limite máximo de lojas no país vizinho e optou por Portugal para ser a primeira experiência de internacionalização e para continuar a expandir-se.

Cash Express quer reforçar rede no Algarve a partir do êxito de Portimão

A primeira loja desta rede em Portugal, aberta em Portimão, apresenta um crescimento significativo com uma faturação na ordem de um milhão de euros.

Sonae pretende colocar 25% do negócio do retalho em bolsa

A IPO será composta por uma oferta pública a investidores qualificados e não qualificados em Portugal, bem como uma oferta particular internacional a investidores institucionais, anunciou a retalhista.
Comentários