Mercados abastecedores fecham acordo com Cabo Verde

Atualizar o diagnóstico do setor agroalimentar na Ilha de Santiago e definir a implantação e gestão de mercados abastecedores que possam integrar uma plataforma logística, uma central de compras e um parque industrial nesta região de Cabo Verde, são objetivos deste memorando de entendimento.

Cristina Bernardo

A empresa pública responsável pela gestão dos mercados abastecedores de Portugal assinou esta semana um memorando de entendimento e entidades oficiais de Cabo Verde, para desenvolver um processo de colaboração nos próximos anos.

“Atualizar o diagnóstico do setor agroalimentar na Ilha de Santiago e definir a implantação e gestão de mercados abastecedores que possam integrar uma plataforma logística, uma central de compras e um parque industrial nesta região de Cabo Verde, são objetivos do memorando de entendimento agora estabelecido entre a SIMAB, a Câmara Municipal de Santa Cruz e a Associação de Turismo de Santiago”, são os objetivos desta parceria, de acordo com um comunicado do grupo SIMAB.

Segundo esse comunicado, o documento foi subscrito esta quarta-feira (31 outubro) pelo CEO do grupo SIMAB, Rui Paulo Figueiredo; pelo presidente da Câmara de Santa Cruz, Carlos Alberto Silva; e pelo presidente da Associação de Turismo de Santiago, Eugénio Inocêncio.

O acordo em causa prevê “a articulação daqueles equipamentos com uma incubadora de empresas e com os projetos-piloto em curso no domínio da regeneração urbana e do desenvolvimento económico e social da ilha de Santiago, a par de atividades de promoção turística, de que é exemplo a Feira da Banana”.

“A cooperação no desenvolvimento do comércio internacional, em particular entre os operadores instalados nos mercados abastecedores/centrais de compras, mas também ao nível do comércio eletrónico e da possível instalação de espaços comerciais e pavilhões de alguns países nos mercados abastecedores e centrais de compras de outros países, são intenções deste acordo de colaboração”, adianta o referido comunicado do grupo SIMAB.

Está prevista a cooperação das três entidades na atração de parceiros internacionais, “portugueses e de outras nacionalidades, que possam criar valor para os projetos em apreço”.

“As três entidades comprometem-se também a partilhar experiências para obter o apoio de organizações internacionais, para que os Governos nacionais e locais possam garantir boas práticas comerciais, alimentação saudável, segura e de qualidade, a bom preço; desenvolver programas de melhoria e eficiência logística, assim como de modernização e competitividade dos canais tradicionais de comercialização de alimentos; e desenvolver padrões de qualidade” conclui a SIMAB.

 

Ler mais
Recomendadas

Plano energético de Cabo Verde prevê penetração de renováveis de 50% até 2030

Nesta aposta em energias renováveis a baixo custo, o governo tem previsto no quadro do Orçamento do Estado para 2019 algumas medidas, uma delas, de acordo com Alexandre Monteiro, é a redução em 50% para as famílias que apostem em painéis solares.

Hotéis em Cabo Verde receberam mais de 170 mil hóspedes no terceiro trimestre

A ilha do Sal teve maior acolhimento, com 51,0% do total das entradas, seguida da ilha do Boa Vista, com 30,6%.

Governo de Cabo Verde afirma que “posição do Doing Business não reflete conjunto de medidas em curso”

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, fez o discurso de abertura da XXII edição da Feira Internacional de Cabo Verde. De entre os participantes, 61% são empresas de direito cabo-verdiano e 37% com capital português, que é “o principal país estrangeiro “presente.
Comentários