Merkel considera que “não há desculpa” para a violência contra estrangeiros

No seu discurso no Parlamento durante o debate sobre o Orçamento para 2019, Angela Merkel disse compreender a indignação dos cidadãos face aos atos violentos e assegurou que a justiça “vai recair sobre os culpados, independentemente da sua nacionalidade”.

REUTERS/Hannibal Hanschke

A chanceler alemã Angela Merkel afirmou hoje que “não há desculpa” para o ódio, a violência contra estrangeiros e o uso de ‘slogans’ nazis, na sequência dos protestos de extrema-direita e episódios violentos contra refugiados.

No seu discurso no Parlamento durante o debate sobre o Orçamento para 2019, Angela Merkel disse compreender a indignação dos cidadãos face aos atos violentos e assegurou que a justiça “vai recair sobre os culpados, independentemente da sua nacionalidade”.

Merkel referia-se à morte de dois alemães em dois incidentes separados nas últimas três semanas, tendo sido detidos quatro requerentes de asilo, e aos protestos de direita que polarizaram a sociedade alemã.

A morte por esfaqueamento de um alemão, a 26 de agosto, e a detenção pela polícia de dois suspeitos do crime, um iraquiano e um sírio, grupos de extrema-direita lançou uma “caça aos estrangeiros” nas ruas de Chemnitz, antiga cidade da antiga República Democrática da Alemanha (ex-RDA).

Os acontecimentos de Chemnitz estão a marcar a atualidade política que enfrenta um intenso debate sobre a entrada, desde 2015, de um milhão de refugiados no país.

Recomendadas

Bancos moçambicanos perdem 71 mil euros por dia com apagão de caixas automáticas

“Para o sistema bancário que depende da rede da Sociedade Interbancária em Moçambique [Simo], o prejuízo diário está estimado em cinco milhões de Meticais”, disse Bernardo Cumaio, responsável para a área da política financeira da Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA).

Brexit: Ministério das Finanças espera acordo mas prepara planos de contingência

Secretário de Estado das Finanças, que falava à saída de uma reunião do Eurogrupo, sublinhou que todos estão a trabalhar no sentido de fechar “uma solução para o Brexit que seja cooperativa, e que portanto não seja necessário ativar quaisquer planos de contingência”.

Casa Branca tenciona voltar a suspender acreditação de jornalista da CNN

A Casa Branca suspendeu a acreditação do jornalista Jim Acosta, mas um juiz federal ordenou que o acesso às conferências de imprensa seja restabelecido. Quando a ordem do juiz expirar, a Casa Branca tenciona voltar a suspender a acreditação.
Comentários