Merkel considera que “não há desculpa” para a violência contra estrangeiros

No seu discurso no Parlamento durante o debate sobre o Orçamento para 2019, Angela Merkel disse compreender a indignação dos cidadãos face aos atos violentos e assegurou que a justiça “vai recair sobre os culpados, independentemente da sua nacionalidade”.

REUTERS/Hannibal Hanschke

A chanceler alemã Angela Merkel afirmou hoje que “não há desculpa” para o ódio, a violência contra estrangeiros e o uso de ‘slogans’ nazis, na sequência dos protestos de extrema-direita e episódios violentos contra refugiados.

No seu discurso no Parlamento durante o debate sobre o Orçamento para 2019, Angela Merkel disse compreender a indignação dos cidadãos face aos atos violentos e assegurou que a justiça “vai recair sobre os culpados, independentemente da sua nacionalidade”.

Merkel referia-se à morte de dois alemães em dois incidentes separados nas últimas três semanas, tendo sido detidos quatro requerentes de asilo, e aos protestos de direita que polarizaram a sociedade alemã.

A morte por esfaqueamento de um alemão, a 26 de agosto, e a detenção pela polícia de dois suspeitos do crime, um iraquiano e um sírio, grupos de extrema-direita lançou uma “caça aos estrangeiros” nas ruas de Chemnitz, antiga cidade da antiga República Democrática da Alemanha (ex-RDA).

Os acontecimentos de Chemnitz estão a marcar a atualidade política que enfrenta um intenso debate sobre a entrada, desde 2015, de um milhão de refugiados no país.

Recomendadas

Venezuela: Washington pede à UE para reconhecer Juan Guaidó como “único presidente legítimo”

Vice-presidente norte-americano recordou a conferência que se realizou esta semana em Washington na qual 30 países reafirmaram o compromisso de ajudar a Venezuela e enviar ajuda humanitária.

Eleições europeias: campo de batalha para todas as ‘fake news’

O movimento de Emmanuel Macron, como tantos outros, está convencido que Steve Bannon e Vladimir Putin estarão ativamente concentrados contra o aprofundamento da União Europeia.

Amazon desistiu de se mudar para Nova Iorque

A companhia tem sede mas Seattle mas a expansão de um segundo escritório principal em Nova Iorque foi comprometida por políticos que se opuseram devido aos benefícios fiscais que a empresa iria receber do Estado.
Comentários