Metade dos portugueses rejeitam fazer compras na ‘Black Friday’

Em relação à Cibermonday, apenas 18% dos portugueses vão aproveitar o dia para realizar compras.

Andy Rain/EPA/Lusa

Com a aproximação do Natal, muitos optam por fugir à azáfama de dezembro e começam as compras no mês anterior, aproveitando as promoções do ‘Black Friday’ e ‘Cybermonday’. Foi exatamente com o intuito de perceber a corrida às lojas nos dias de descontos antes da quadra festiva que o Observador Cetelem apresenta o novo estudo, com base na população portuguesa.

De acordo com os dados recolhidos pelo Observador Cetelem Natal 2019, os portugueses estão a planear gastar 168 euros na ‘Black Friday’ (sexta-feira negra) e 126 euros na ‘Cybermonday’ (descontos em compras online). Estes dois dias de promoções têm vindo a ganhar alguma relevância no panorama económico português, “com cada vez mais consumidores a considerarem que são uma boa oportunidade de antecipar e reduzir alguns gastos relativos às compras de Natal”.

Este ano, 36% dos inquiridos pelo Observador Cetelem revelaram que têm intenção de aproveitar as promoções da ‘Black Friday’, embora a intenção seja comprar para o momento e não para oferecer no Natal. Cerca de 20% dos inquiridos admite que vão aproveitar o dia para fazer compras para si ou outros, ainda que não estejam contempladas oferendas natalícias. Apenas 16% dos inquiridos revelam que vão antecipar compras para o Natal, menos 16 pontos percentuais que no ano passado.

“No que respeita aos gastos, os portugueses planeiam despender em média 168 euros nas ações de ‘Black Friday’, um crescimento de 15% e que representam, em média, mais 22 euros do que em igual período do ano passado”, revela o estudo. Por sua vez, os portugueses da região Sul são os que mais revelam intenção de antecipar as compras de natal neste dia (22%).

Com foco na segunda-feira após a ‘Black Friday’, ou a ‘Cibermonday’, apenas 18% dos portugueses vão aproveitar o dia para realizar compras, uma diminuição desde o ano passado, quando se verificou que 25% dos portugueses tinha intenções de aproveitar o dia.

No entanto, enquanto há portugueses que querem aproveitar as promoções da ‘Black Friday’ ou ‘Cybermonday’. Cerca de 50% dos inquiridos assumem que não vão aproveitar a sexta-feira, 29 de novembro, para compras, número que decresceu desde o ano passado, quando se situou em 55%. Este valor sobe para 57% dos portugueses que não querem realizar compras na ‘Cybermonday’, mostrando uma redução em relação ao ano passado, quando se situou em 65%.

O estudo vai ainda mais longe e revela que 22% dos inquiridos não sabem o que é a ‘Cibermonday’, enquanto 10% não sabe o que é a ‘Black Friday’.

Ler mais
Recomendadas

EDP e EDP Renováveis: “Quebra e recuperação das ações refletem a força e a proteção das marcas”, diz especialista em reputação

Certo é que ainda cedo para tirar mais ilações sobre o impacto deste caso na reputação e na marca da EDP. “Quanto aos impactos na força de marca e em particular na reputação, há que ter em atenção que se trata de uma marca com um índice de força claramente robusto e que temos obviamente de esperar mais algum tempo para aferir os impactos reais”, salientou João Baluarte, sócio da OnStrategy, empresa especialista em análise reputacional de empresas.

EUA vão pagar 1,4 mil milhões de euros para Novavax desenvolver 100 milhões de vacinas da Covid-19

O governo dos EUA decidiu apostar e confiar na Novavax, uma empresa do estado do Maryland que nunca colocou um produto no mercado.

Deutsche Bank multado em mais de 130 milhões de euros após Epstein usar contas do banco para silenciar vítimas

De acordo com o “The New York Times”, o Deutsche Bank não fez “muitas perguntas” a Epstein para o ter como cliente. Nem mesmo quando foi observada a retirada de 100 mil dólares (88,6 mil euros) das contas do falecido multimilionário para “gorjetas e despesas domésticas”.
Comentários