Milhões e mais milhões. O incrível recibo de ordenado de Tim Cook em 2017

Entre ordenado, avião privado, despesas com segurança e ações da Apple, Tim Cook “custou” este ano 85 milhões de euros à empresa que lidera.

No total e segundo informações entregues ao regulador norte-americano SEC (Securities and Exchange Commission), as compensações pagas a Tim Cook nas suas diversas formas atingiram, em 2017, cerca de 102 milhões de dólares, o equivalente a 85 milhões de euros.

Em 2017, a Apple praticamente duplicou a remuneração de Cook, o que faz dele um dos CEOs mais bem pagos do mundo, com um salário de 12,8 milhões de dólares, quase o dobro do que ganhou em 2016. Além disso, forçou-o a usar avião privado tanto em negócios como em viagens particulares, por razões de “segurança e eficiência”.

Segundo a informação prestada à SEC esta quarta-feira, no ano fiscal de 2017, a fatura das viagens pessoais totalizou 93 mil dólares, enquanto as despesas com segurança ascenderam a 225 mil dólares.

Este exercício, o CEO recebeu ainda um pacote adicional de ações da Apple avaliado em 89 milhões de dólares.

Recomendadas

Receitas turísticas sobem 12% até agosto

As receitas turísticas cresceram 12,2% entre janeiro e agosto deste ano, face ao mesmo período de 2017, para mais de 11 mil milhões de euros, de acordo com o Banco de Portugal.

Sete bancos criam consórcio para transformar financiamento comercial

Santander, BNP Paribas, Citi, Deutsche Bank, HSBC, Standard Chartered e ANZ vão desenvolver uma “Trade Information Network”.

Há nova greve do Metro de Lisboa a 6 de novembro, primeiro dia de Web Summit

Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa marcaram uma nova greve parcial para 06 de novembro, entre as 06:00 e as 09:30, por reivindicações salariais.
Comentários