Millennium BCP marca assembleia geral para 5 de novembro

A nota enviada à CMVM confirma a notícia avançada pelo Jornal Económico esta sexta-feira.

Miguel A. Lopes/Lusa

O Millennium BCP anunciou esta sexta-feira que convocou uma assembleia geral na sede do banco para o próximo dia 5 de novembro, às 14:30, com o objetivo de alterar os seus estatutos e clarificar a distribuição de dividendos.

Em comunicado enviado esta manhã, antes da abertura da bolsa de Lisboa, à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a instituição bancária confirma a notícia avançada pelo Jornal Económico esta sexta-feira.

A assembleia estipula na ordem de trabalhos a alteração do nº2 do artigo 54º dos estatutos do banco, passando, assim, a ter a seguinte leitura: “A assembleia geral delibera livremente por maioria simples em matéria de distribuição dos lucros do exercício, sem sujeição a qualquer distribuição obrigatória, tendo presente a política de dividendos em que cada momento estiver em vigor, a qual não afeta a plena liberdade de decisão da Assembleia Geral”

No segundo ponto do plano de discussões está a reformulação das “rubricas do capital próprio”. Segundo a informação transmitida pelo BCP, o objetivo é o “reforço inequívoco de condições futuras de existência de fundos suscetíveis de qualificação regulatória como distribuíveis, mediante a redução da cifra do capital social em 875.738.053,72 euros, sem alteração do número de ações (sem valor nominal) existentes e sem alteração da situação líquida”.

Os títulos do BCP estão a subir 1,28%, para 0,2296 euros.

Recomendadas

ASF “delibera a constituição de um grupo de trabalho” para supervisionar a Associação Mutualista

A ASF desde que ganhou a supervisão das maiores Mutualistas que “dispõe de poderes de monitorização das ações e diligências adotadas pelas associações mutualistas relevantes com vista à progressiva adaptação ao quadro regulatório e de supervisão do setor segurador”, para assegurar essa função constituiu um grupo de trabalho.

Fundos lesados com obrigações sénior do Novo Banco em 2015 põem ação contra o Estado no Tribunal Administrativo

Os autores da ação contra o Estado são a Pimco, o fundo soberano do Kuwait e o fundo de pensões da IBM. Em causa está a transmissão de cinco séries de obrigações séniores do Novo Banco para o BES ordenada pelo Banco de Portugal (autoridade de resolução) no fim de 2015.

Pedro Castro e Almeida torna-se CEO do Banco Santander Totta em janeiro

Comissão executiva do Banco Santander Totta liderada por Pedro Castro e Almeida foi aprovada esta quinta-feira em assembleia-geral. O CEO e respectiva equipa executiva iniciam funções em janeiro.
Comentários