Millennium BCP marca assembleia geral para 5 de novembro

A nota enviada à CMVM confirma a notícia avançada pelo Jornal Económico esta sexta-feira.

Miguel A. Lopes/Lusa

O Millennium BCP anunciou esta sexta-feira que convocou uma assembleia geral na sede do banco para o próximo dia 5 de novembro, às 14:30, com o objetivo de alterar os seus estatutos e clarificar a distribuição de dividendos.

Em comunicado enviado esta manhã, antes da abertura da bolsa de Lisboa, à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a instituição bancária confirma a notícia avançada pelo Jornal Económico esta sexta-feira.

A assembleia estipula na ordem de trabalhos a alteração do nº2 do artigo 54º dos estatutos do banco, passando, assim, a ter a seguinte leitura: “A assembleia geral delibera livremente por maioria simples em matéria de distribuição dos lucros do exercício, sem sujeição a qualquer distribuição obrigatória, tendo presente a política de dividendos em que cada momento estiver em vigor, a qual não afeta a plena liberdade de decisão da Assembleia Geral”

No segundo ponto do plano de discussões está a reformulação das “rubricas do capital próprio”. Segundo a informação transmitida pelo BCP, o objetivo é o “reforço inequívoco de condições futuras de existência de fundos suscetíveis de qualificação regulatória como distribuíveis, mediante a redução da cifra do capital social em 875.738.053,72 euros, sem alteração do número de ações (sem valor nominal) existentes e sem alteração da situação líquida”.

Os títulos do BCP estão a subir 1,28%, para 0,2296 euros.

Recomendadas

BCE exige à CGD para 2019 o mesmo rácio de capital que tinha exigido no ano passado

“O requisito de Pilar 2 para a CGD em 2019 é de 2,25%, o que representa uma manutenção face a 2018”, diz a Caixa. Recorde-se que os requisitos de Pilar 2, são os específicos das instituições e confidenciais. “Considerando os rácios da CGD em 31 de dezembro de 2018, são já cumpridos, com uma significativa margem, todos os novos rácios mínimos exigidos em matéria de CET1 (Common Equity Tier 1), Tier 1 e Rácio Total”, diz a CGD.

BNI Europa estabelece parceria com empresa alemã para concretizar a implementação da Diretiva de Serviços de Pagamento

Esta cooperação é um marco para o futuro desenvolvimento do Open Banking na Europa e o próximo passo no crescimento do Banco BNI Europa, diz o banco.

Natixis registou resultado líquido de 1,6 mil milhões de euros em 2018

A Natixis alcançou 12,0% de RoTE (Return on tangible equity) subjacente (13,9% ajustado) face a 12,3% em 2017, anuncia o banco francês. O RoE (return-on-equity, rendimento sobre o capital) subjacente dos negócios atingiu 13,7% (15,1% ajustado), face a 13,8% em 2017.
Comentários