Ministério Público acredita que há 13 culpados pela queda do BES

Os visados ainda podem contestar a decisão. Entre os culpados estão Ricardo Salgado e cinco elementos da família Espírito Santo.

BES Av Liberdade Lisboa

O Ministério Público e comissão liquidatária do Banco Espírito Santo estão de acordo de que existem 13 responsáveis pela queda do Banco Espírito Santo (BES), entre os quais Ricardo Salgado e cinco elementos da sua família.

De acordo com um documento consultado pelo “Jornal de Negócios”, a justiça está em “plena concordância” e “total adesão” com a ideia da comissão liquidatária de que a qualificação de insolvência da instituição é culposa.

Os 13 visados ainda podem contestar a decisão e têm tipos de intervenção diferente dependendo dos “distintos níveis de conhecimento” ou “acesso a informação relevante, verdadeira e atual”, segundo o documento que se encontra na 1ª Secção do Comércio da Comarca de Lisboa.

Ricardo Salgado, Amílcar Morais Pires, António Souto, João Freixa, Joaquim Goes, Jorge Martin s, José Manuel Espírito Santo, José Maria Ricciardi, Rui Silveira, Stanilas Ribes, Manuel Fernando Espírito Santo, Pedro Mosqueira do Amaral ou Ricardo Abecassis são alguns dos nomes apontados.

Relacionadas

Ministério Público já constituiu 23 arguidos na investigação ao Grupo Espírito Santo

Ricardo Salgado, José Manuel Espírito Santo e Amílcar Morais Pires concentram em si o foco do processo.

Venha o diabo e escolha

Benfica, Porto e Sporting têm uma enorme responsabilidade na sociedade portuguesa e para com a sociedade portuguesa. Deveriam transmitir valores e princípios, mas não o fazem.

BES: MP recorre de sentença que anulou acusação do BdP a Ricardo Salgado e Amílcar Pires

O BdP havia sancionado Ricardo Salgado com coima de 350.000 euros e Amílcar Morais Pires com coima de 150.000 euros por contraordenações à lei de branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo, enquanto administradores do BES, decisão cuja impugnação ambos pediram junto do TCRS.
Recomendadas

Nuno Amado: “Taxas de juro do crédito no último ano demonstram que a concorrência foi normalizada em Portugal”

Em entrevista ao jornal “Público” o agora presidente não executivo do BCP fala das mudanças no banco e também da exposição que os bancos portugueses tiveram no mercado internacional.

Quais são os bancos que já disponibilizam transferências imediatas?

O novo subsistema do Sistema de Compensação Interbancária assegura o processamento contínuo de transferências em menos de 10 segundos. A adesão dos bancos é, no entanto, facultativa. Confirme aqui quais os bancos que já têm e quais os custos.

Nasce manifesto anti-Tomás Correia para o Montepio

Um conjunto composto por várias dezenas de associados e associadas da Associação Mutualista Montepio decidiu assinar um Manifesto, intitulado ‘Construir a Confiança – Por um Montepio Competente, Solidário e Responsável’.
Comentários