Ministro da Economia na inauguração do LACS: “Estes balneários já estiveram cheios de operários e vão agora ter os operários da criatividade”

O LACS de Filipe Botton, João Lopes Raimundo, Gustavo Brito e Miguel Rodrigues, inaugurou nesta sexta-feira, com a presença do Governo e do Porto de Lisboa. Manuel Caldeira Cabral defendeu o papel da cultura na dinamização do turismo.

Inaugurou ontem o Lisbon Art Center & Studios — ou LACS —, um novo polo criativo e um espaço de coworking e de escritórios flexíveis. Um projeto de Gustavo Brito, Miguel Rodrigues, Filipe Botton e de João Lopes Raimundo.

Manuel Caldeira Cabral, Ministro da Economia,  fez o discurso de inauguração do espaço de coworking em Lisboa, que se situa no edifício de 5000 metros quadrados (m2) no Cais da Rocha do Conde D’Óbidos, onde antes funcionavam as cantinas e os balneários do porto de Lisboa. E que estava abandonado e devoluto há mais de 20 anos.

Aproveitando o passado do espaço, o Ministro da Economia disse que “estes balneários já estiveram cheios de operários a trabalhar e vão agora ter os operários da criatividade a trabalhar, operários deste mundo novo”.

Aproveitando a presença da responsável pelo Porto de Lisboa no evento, o ministro lembrou “o crescimento de 18% das exportações que foi hoje revelado”.

Manuel Caldeira Cabral defendeu o papel da cultura na dinamização do turismo, perante a presença da secretária de Estado do turismo, defendeu “a valorização das atividades culturais, pelo turismo e pela valorização do destino Portugal”.

“Há uns anos atrás as universidades estavam na ciência, a cultura estava nos museus, hoje não é assim, e estes espaços são a prova disso. A inovação faz-se, em grande parte, nestes espaços criativos, em que pessoas vindas de universidades aproveitam o conhecimento para criar valor”, disse o Ministro da Economia.

“Na cultura cada vez mais os museus se afirmam como espaços de animação e criatividade. A criatividade e a arte estão cada vez mais nas ruas e em espaços como estes, em que a arte se cruza com as actividades económicas, em que se cruza com a inovação e criativadade, em que se cruza com a tecnologia e com as novas formas de expressão que a tecnologia tem”, realçou Caldeira Cabral que salientou também o papel de criação de emprego que os espaços de coworking têm.

“Nós no programa start-up Portugal temos insistido muito na ideia do ecosistema, na ideia das incubadoras. Estes espaços são pontos de encontro, são pontos de cruzamento de pessoas que trazem arte, criatividade,  ao nível do design, ao nível das artes plásticas, de música, que trazem criatividade ao nível da inovação, ao nível da tecnologia, e ao nível do artesanato também”, disse Manuel Caldeira Cabral que lembrou que as incubadoras de ideias são hoje o que mais cria valor nas sociedades modernas.

O LACS vai também abrir em Cascais, revelaram na cerimónia de inauguração os responsáveis pelo projecto.

Na inauguração houve a assinatura de Protocolo no âmbito da responsabilidade social: Projecto “Manicómio” e a assinatura de Protocolo de apoio a “Jovens Artistas” com Carpe Diem.