“Missão cumprida”. Trump elogia resultados do ataque à Síria

Washington anunciou que foram bombardeados três alvos, onde estaria armamento químico. Do lado dos militares ocidentais, não houve mortos, enquanto do lado sírio, ainda não há informações sobre o assunto.

Donald Trump considera que o bombardeamento à Síria levado a cabo esta noite pelos EUA, Reino Unido e França foi um sucesso. No Twitter, o presidente dos EUA agradeceu a ajuda dos aliados no lançamento de mais de 100 mísseis à alegada localização de armas químicas que seria usada pelo regime de Bashar al-Assada contra civis.

“Um ataque executado na perfeição na noite passada. Obrigado à França e ao Reino Unido pela sabedoria e pelo poder dos seus ótimos exércitos. Não poderia ter tido um resultado melhor. Missão cumprida!”, escreveu o presidente.

Os EUA, a França e o Reino Unido avançaram à 1h55 (hora de Lisboa) com uma operação militar conjunta na Síria. Num briefing na Casa Branca, Washington esclareceu que foram bombardeados três alvos, onde estaria armamento químico. Do lado dos militares ocidentais, não houve mortos, enquanto do lado sírio, ainda não há informações sobre o assunto.

Fonte oficial confirmou ainda que foram 105 mísseis pelos EUA, França e Reino Unido. A Síria respondeu com cerca de 50 mísseis, enquanto a Rússia (principal aliado de al-Assad) não teve qualquer intervenção. As informações confirmam o que os regimes sírio e russo já tinham também dito.

O ataque tratou-se uma retaliação contra o alegado ataque químico da semana passada na cidade rebelde de Douma, em Ghuta Oriental, atribuído ao regime de Assad, que causou 40 vítimas mortais e 500 feridos. O objetivo, segundo o presidente, seria impedir a produção, disseminação e utilização de armas químicas.

Relacionadas
Respostas rápidas. O que já se sabe sobre o bombardeamento na Síria?
EUA, Reino Unido e França bombardearam, na madrugada deste sábado, a Síria, numa ação conjunta para travar o uso de armas químicas. Vários países já apoiaram o ataque, mas também há quem condene.
Síria: Conselho de Segurança da ONU reúne-se hoje às 16:00 de Lisboa
A reunião foi pedida pela Rússia, aliada do regime sírio. Trata-se da quinta reunião que o Conselho de Segurança da ONU realiza esta semana sobre a situação na Síria.
Marcelo sobre a Síria: “Solução pacífica é dramaticamente urgente”
O Presidente da República reafirmou a “compreensão” de Portugal em relação aos bombardeamentos realizados esta noite, uma posição que já tinha sido veiculada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros.
MNE sobre a Síria: “Portugal compreende as razões e a oportunidade desta intervenção militar”
O ministério dos Negócios Estrangeiros português não mostrou apoio aos ataques, mas referiu que os responsáveis são “países amigos” e apelou à necessidade de evitar a escalada no conflito sírio.
Síria garante que interceptou 71 dos 103 mísseis enviados por EUA, França e Reino Unido
O regime de Damasco divulgou um vídeo em que Bashar al-Assad é visto a trabalhar normalmente, numa altura em que os sírios se manifestam nas ruas da capital do país depois do bombardeamento levado a cabo esta madrugada pelos EUA, Reino Unido e França.
Recomendadas
Respostas Rápidas: Que produtos foram afetados pelas tarifas dos EUA à China?
Em que ponto está a guerra comercial? Qual a lista de produtos impactados? Como reagiu a China? O que dizem os analistas? Segundo os cálculos do instituto alemão Ifo, estas tarifas irão travar o crescimento da China em 0,1 a 0,2 pontos percentuais e colocar a Europa numa posição mais forte.
Kim Jong-un diz que cimeira com Donald Trump estabilizou a segurança regional
O líder da Coreia do Norte enalteceu hoje a cimeira realizada com Donald Trump, presidente dos EUA, na medida em que estabilizou a segurança regional. Jong-un também disse que espera obter mais progressos na próxima cimeira inter-coreana.
China retalia Estados Unidos com tarifas de 60 mil milhões de dólares
A decisão surge horas depois de a Casa Branca dizer que os Estados Unidos da América iriam impor taxas alfandegárias às importações chinesas no valor de 200 mil milhões de dólares (aproximadamente 171 mil milhões de euros).
Comentários