Moeda angolana encerra semana estável face a euro e dólar

Divisa angolana tem-se mantido relativamente estável há cerca de dois meses, oscilando entre os 353 e os 359 kwanzas.

A moeda angolana encerrou a semana sem grandes oscilações face à europeia e à norte-americana, mantendo a tendência de estabilidade, cotando-se no final de sexta-feira nos 355,938 kwanzas/euro e 315,772 kwanzas/dólar, indica hoje o Banco Nacional e Angola (BNA).

Segundo os dados do banco central angolano, depois de há duas semanas ter atingido mínimos históricos face à moeda europeia (359,982 kwanzas/euro), o kwanza apreciou-se ligeiramente face a quarta e quinta-feira, quando se transacionava a 356,070 kwanzas/euro (355,572 na segunda-feira).

A moeda oficial de Angola tem-se mantido relativamente estável há cerca de dois meses, oscilando entre os 353 e os 359 kwanzas.

A estabilidade reflete-se também em relação à moeda norte-americana, em que o kwanza manteve praticamente duas semanas a mesma cotação, 314,721 kwanzas/dólar, valor situado no intervalo entre os 311 e 315 kwanzas registados há quatro meses.

Em janeiro de 2018, face ao pico da crise económica que o país então vivia, as autoridades angolanas começaram a vender aos bancos comerciais as divisas em leilão, primeiro trissemanais e atualmente diárias, com a moeda angolana a transacionar-se, então, a 185,40 kwanzas/euro. Desde essa altura, o kwanza depreciou-se 47,912%.

No mesmo sentido, a moeda norte-americana, que em janeiro do ano passado se transacionava a 165,92 kwanzas/dólar, depreciou-se 48,405%.

No mercado paralelo, o euro continua a transacionar-se entre os 450 e 470 kwanzas, enquanto o dólar também se mantém entre os 390 e 410 kwanzas.

Ler mais
Relacionadas

Euro chega aos 20 anos já com muitas histórias e outras tantas para contar

Percurso da moeda única que entrou em vigor de 1999 tem sido permeável à conjuntura política e económica, como recorda a ‘fintech’ Ebury.

Reformas e FMI só vão ajudar Angola a médio prazo, defende S&P

O analista da Standard & Poor’s que segue Angola disse que o impacto do programa com o FMI só vai ter efeito a médio prazo, explicando que agora a economia enfrenta dificuldades que justificam uma Previsão de Evolução Negativa.
Recomendadas

Perdas da Galp, Jerónimo Martins e das papeleiras condicionam PSI 20

O principal índice bolsista português perde 0,16%, para 5.251,38 pontos na sessão desta terça-feira.

Wall Street em máximos mas sem rumo

Ou seja foi mais uma puxada “estética” que algo mais, até porque o volume continuou bem abaixo da média com 5.3 biliões de negócios.

Época de resultados puxa por Wall Street

Depois do Citi, apresentarão suas contas ao mercado esta semana outras empresas como a Johnson & Johnson, J.P. Morgan, Goldman Sachs, Wells Fargo, IBM, Bank of America, eBay, Netflix, UnitedHealth, Morgan Stanley e Microsoft.
Comentários