PremiumMontanha russa da bitcoin deixa investidores desorientados

Uma ‘guerra civil’ na tecnologia levou a fortes quedas no preço da bitcoin este mês, mas a tendência vem desde o início do ano e deve-se às dúvidas que ensombram o progresso das criptomoedas, dizem os analistas. Conselho em tempos voláteis: cautela.

Subida vertiginosa, seguida de queda a pique. Se há um ativo ao qual essa descrição de eventos assentou como uma luva nos últimos 12 meses foi a bitcoin. Há precisamente um ano, o preço da criptomoeda estava perto dos 10 mil dólares e a valorizar a passo tão acelerado que em poucos dias (a 16 de dezembro) iria duplicar para atingir um máximo histórico, ligeiramente abaixo dos 20 mil dólares. De repente, a bitcoin era tema de conversa no dia a dia, com investidores a exibirem nas várias apps nos smartphones quanto tinham lucrado.

Passado um ano, o tema de conversa é o inverso. Nas últimas duas semanas, a tendência de queda da bitcoin verificada ao longo do ano (embora aos solavancos), acentuou-se. Após várias semanas a negociar no patamar do seis mil dólares, o preço de uma bitcoin quebrou esse nível a 14 de novembro,  passados cinco dias caiu para baixo dos cinco mil dólares e, no dia 24, dos quatro mil dólares.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumJorge Silva Martins: “Smart contracts não visam substituir os analógicos”

Jorge Martins, advogado da PLMJ, diz que há empresas que querem forçosamente usar blockchain nas operações sem perceberem o que é.

PremiumBastonário dos veterinários: “Há uma consciência grande dos portugueses sobre como devem tratar os animais”

Comemora-se esta segunda-feira o Dia Internacional dos Direitos dos Animais. Jorge Cid, bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários, disse ao Jornal Económico a carga fiscal sobre a alimentação e os tratamentos dos animais de companhia deve baixar “em breve”.

Premium“Não há ‘bolha’ imobiliária, há é falta de produto”, afirma André Jordan

O empresário luso-brasileiro falou em entrevista ao Jornal Económico à margem do Prémio André Jordan, e aos 85 anos continua a pensar em projetos alternativos para o setor imobiliário.
Comentários