Moody’s: Desaceleração da economia e tensões comerciais vão afetar 2019

A Moody’s mudou esta quarta-feira a perspetiva de positiva para estável das empresas não financeiras da região EMEA no próximo ano.

As perspetivas para 2019 das empresas não financeiras da Europa, Médio Oriente e África, que em conjunto compõem a chamada região EMEA, afiguram-se tremidas, contrariando o bom desempenho que se tem verificado este ano sobretudo nos setores do petróleo e gás e nas commodities, em geral. Um primeiro sinal vem da agência de notação Moody’s, que mudou esta quarta-feira, a perspetiva de positiva para estável, devido à desaceleração do crescimento económico e ao aumento das tensões comerciais no mundo.

“Um dos principais impulsionadores da qualidade de crédito para a maioria das empresas avaliadas é o ambiente macro, onde estimamos desaceleração do crescimento económico em muitas das economias do G20 “, justifica Philipp Lotter, managing diretor da Moody’s para a zona EMEA em comunicado enviado às redações.

O impacto do agudizar das tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China devem ser modestos e geríveis para as empresas europeias em 2019, diz a Moody’s. No entanto, acrescenta, um possível Brexit “sem acordo” seria negativo para alguns emissores, particularmente para as empresas britânicas nos setores aeroespacial, automobilístico e químico.

Recomendadas

Governo e Sindicatos prosseguem negociação para a Função Pública no dia 20 de dezembro

Segurança e saúde no trabalho (SST); acidentes de trabalho e doenças profissionais; aposentação; Programa Qualifica AP; e negociação de projetos de diploma que alteram a Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas estiveram hoje na agenda da reunião entre o Governo e as estruturas sindicais.

Estrasburgo: tiroteio em mercado de Natal faz um morto

Incidente ocorreu num mercado de Natal em Estrasburgo.

Centeno é a personalidade do ano para a Associação de Imprensa Estrangeira

“Os correspondentes estrangeiros atribuíram o prémio ao ministro das Finanças português, que se destacou na imprensa internacional depois da sua chegada no início do ano à presidência do Eurogrupo”, lê-se na nota da Associação de Imprensa Estrangeira em Portugal.
Comentários