Moody´s melhora rating do Bankinter

A Moody’s baseia o aumento do rating, principalmente na qualidade dos ativos do banco e nas suas expectativas de melhoria para os próximos 12 a 18 meses.

A Moody´s melhorou o rating do Bankinter para “Baa1” com perspetiva estável. A agência de notação financeira melhorou todos os ratings do Bankinter, tanto o de crédito de emissor da dívida sénior como o de depósitos e o risco de contraparte.

O Bankinter melhora assim todos os seus ratings. Entre estes, a agência de classificação Moody’s elevou o rating de crédito de longo prazo em um nível, passando de “Baa2” para “Baa1”, com uma perspetiva estável.

A empresa americana elevou o rating de depósito de longo prazo do Bankinter para A3 de Baa1, com perspectiva estável. A dívida subordinada sobe de Ba1 para Baa3; a dívida preferencial sobe de Ba3 para Ba2; o risco de contraparte sobe de A3 para A2  para o longo prazo e de Prime-2 para Prime-1 para o curto prazo; e o BCA (Baseline Credit Assessment ) sobe de baa3 para baa2.

A Moody’s baseia o aumento do rating, principalmente na qualidade dos ativos do banco e nas suas expectativas de melhoria para os próximos 12 a 18 meses. Nesse sentido, a agência avalia positivamente o rácio de NPL, que ficou em 3,1% em março deste ano face à média do setor de 5,4%, bem como a tendência de melhoria esperada.

A agência também valoriza a rentabilidade do Bankinter, a maior entre os bancos cotados em Espanha, observando que o ROA da entidade é de 0,7%  acima dos 0,5% que é a média dos bancos espanhóis. Isto no actual contexto de taxas de juro baixas. Em consonância com isso, destaca-se a baixa dependência da entidade em relação aos resultados das operações financeiras, que em 2018 representavam menos de 5% do total das receitas, a partir do qual se deduz sua capacidade de gerar lucros recorrentes, refere o Bankinter.

Recomendadas

UBS vai ser julgado na segunda-feira feira por fraude fiscal

O banco é suspeito de ter, entre 2004 e 2012, enviado ilegalmente vendedores França para convencer clientes a abrir contas não declaradas na Suíça.

Novo Banco confirma venda do portefólio de malparado ‘Projecto Wilkinson’

A entidade liderada por António Ramalho confirmou a venda da carteira por 216,3 milhões de euros em ativos ao fundo Davidson Kempner, que desta forma vão provocar um impacto “marginalmente positivo” nas contas.

CEO do Goldman Sachs anuncia investimento de 156 mil milhões de dólares na sustentabilidade

David Solomon, presidente e CEO da Goldman Sachs, anunciou o progresso anual rumo ao compromisso do banco norte-americano em termos de Sustainable Finance Commitment. O banco norte-americano quer que os EUA regressem ao Acordo de Paris.
Comentários