Moody´s melhora rating do Bankinter

A Moody’s baseia o aumento do rating, principalmente na qualidade dos ativos do banco e nas suas expectativas de melhoria para os próximos 12 a 18 meses.

A Moody´s melhorou o rating do Bankinter para “Baa1” com perspetiva estável. A agência de notação financeira melhorou todos os ratings do Bankinter, tanto o de crédito de emissor da dívida sénior como o de depósitos e o risco de contraparte.

O Bankinter melhora assim todos os seus ratings. Entre estes, a agência de classificação Moody’s elevou o rating de crédito de longo prazo em um nível, passando de “Baa2” para “Baa1”, com uma perspetiva estável.

A empresa americana elevou o rating de depósito de longo prazo do Bankinter para A3 de Baa1, com perspectiva estável. A dívida subordinada sobe de Ba1 para Baa3; a dívida preferencial sobe de Ba3 para Ba2; o risco de contraparte sobe de A3 para A2  para o longo prazo e de Prime-2 para Prime-1 para o curto prazo; e o BCA (Baseline Credit Assessment ) sobe de baa3 para baa2.

A Moody’s baseia o aumento do rating, principalmente na qualidade dos ativos do banco e nas suas expectativas de melhoria para os próximos 12 a 18 meses. Nesse sentido, a agência avalia positivamente o rácio de NPL, que ficou em 3,1% em março deste ano face à média do setor de 5,4%, bem como a tendência de melhoria esperada.

A agência também valoriza a rentabilidade do Bankinter, a maior entre os bancos cotados em Espanha, observando que o ROA da entidade é de 0,7%  acima dos 0,5% que é a média dos bancos espanhóis. Isto no actual contexto de taxas de juro baixas. Em consonância com isso, destaca-se a baixa dependência da entidade em relação aos resultados das operações financeiras, que em 2018 representavam menos de 5% do total das receitas, a partir do qual se deduz sua capacidade de gerar lucros recorrentes, refere o Bankinter.

Recomendadas

Banco de Portugal salienta que as moratórias públicas ou privadas devem ser tratadas da mesma forma

O Banco de Portugal destaca que a segundo esclareceu a EBA, as moratórias, de iniciativa pública ou privada, devem ser tratadas da mesma forma, desde que tenham um propósito e caraterísticas semelhantes. “A EBA definirá, em breve, quais os critérios a observar para o efeito”, diz a entidade de supervisão.

BPI alarga moratórias para famílias e empresas com carência de capital entre seis a doze meses

A partir de segunda-feira, os clientes que estejam em situação regular com o BPI poderão beneficiar do alargamento do regime da moratória publica junto do banco, que prevê dar carências de capital entre seis e doze meses.

Vírus atrasa auditoria ao Novo Banco

A conclusão da auditoria da Deloitte deverá derrapar para lá de 31 de maio.
Comentários