Mytaxi chega a Nápoles e passa a operar em cem cidades europeias

A empresa está a apostar na expansão internacional.

A plataforma eletrónica Mytaxi, que trabalha diretamente com a indústria do táxi em Portugal desde 2015, opera desde esta quinta-feira na terceira maior cidade italiana, Nápoles, passando assim a estar presente em cem cidades europeias, de acordo com o comunicado pela empresa. A Mytaxi quer continuar expansão internacional.

O diretor de operações da plataforma Andy Batty, citado em comunicado, garantiu que a Mytaxi “é a aplicação de táxis que oferece o serviço mais abrangente em toda a Europa”, sendo que a principal vantagem para os utilizadores é “o facto de poderem utilizar a mesma aplicação em diferentes mercados e cidades europeias”.

“Vamos com certeza continuar a expandir a nossa presença internacional”, acrescentou o diretor de operações da Mytaxi. E Nápoles é o “exemplo mais recente” dessa expansão.

“Nápoles é o exemplo mais recente de uma estratégia de crescimento para 2018 que tem sido muito bem-sucedida”, explica Andy Batty, diretor de operações da Mytaxi.

A Mytaxi chega a Nápoles com 200 motoristas, uma campanha local de 50% de desconto e com parceria do principal clube de futebol da cidade – o SSC Nápoles -, que inclui o uso da imagem do avançado da equipa Simone Verdi para publicidade . Além de Nápoles, a My Taxi está também disponível nas cidades italianas de Roma, Milão, Turim e em mais outras 100 cidades por toda a Europa.

Recomendadas

Imposto sobre o tabaco agrava desequilíbrio na concorrência

Atualmente, Portugal é um mercado prioritário na estratégia da BAT que assenta a sua aposta na Nova Geração de Produtos (vapor, aquecido e híbrido), um segmento para o qual os portugueses revelam ter uma grande abertura.

João Lourenço confirma intenção da Sonangol em sair da Galp e BCP

Presidente angolano esclareceu que a Sonangol deverá “retirar-se de grande parte dos negócios e das participações em que está envolvida”, ainda que a petrolífera portuguesa esteja dentro do core business.

Miguel Maya quer mais operadores a pagar fatura do Novo Banco

CEO do Millennium BCP recordou que desde janeiro o BCP já pagou 45 milhões de contribuições para o Fundo de Resolução e por conta do imposto especial sobre a banca e defende uma “solução mais equitativa”.
Comentários