Não é responsabilidade do BCE regular as bitcoins, diz Draghi

Mario Draghi responde no site do BCE às dúvidas sobre as criptomoedas. Sobre o passado da Europa, Draghi disse que “a última crise foi grave, mas o pior ficou lá atrás. Os países europeus entraram na crise com grandes fraquezas e não conseguiram reagir adequadamente. Hoje, avanços significativos foram feitos em muitas áreas, tornando-nos melhor equipados para o futuro”.

Ler mais

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, afirmou que não é responsabilidade da instituição proibir ou regular as bitcoins, relata a Dow Jones Newswires. Num vídeo publicado no site do BCE, o presidente do banco central europeu pediu cautela dos investidores em relação à moeda virtual.

Mário Draghi realçou que muitos jovens têm enviado questões pelo Twitter sobre se o BCE proibirá ou regulará a bitcoin. “Não é responsabilidade do BCE fazer isso”, alertou.

Draghi disse ainda que “a tecnologia blockchain é inovadora e pode melhorar a eficiência”. O presidente do BCE admitiu estar a “avaliar se isso poderia ser usado nos nossos próprios serviços no futuro”.

Já no que diz respeito à bitcoin, o presidente Draghi aconselha cautela, “uma vez que não é apoiada por nenhum banco central ou governo”, acrescentando que “não é o trabalho do BCE regular”.

O presidente do BCE comentou ainda a evolução económica da zona euro. Draghi confirma que a economia europeia está em expansão contínua desde há vários anos e o emprego é maior do que nunca, “mas temos que continuar a melhorar e temos de garantir que todos beneficiem dessa recuperação”.

Sobre o passado, Draghi disse que “a última crise foi grave, mas o pior  ficou lá atrás. Os países europeus entraram na crise com grandes fraquezas e não conseguiram reagir adequadamente. Hoje, avanços significativos foram feitos em muitas áreas, tornando-nos melhor equipados para o futuro”.

Recomendadas
Fundador do Alibaba diz que guerra comercial EUA-China “vai ser uma confusão” e poderá durar 20 anos
A guerra comercial entre os EUA e a China poderá durar 20 anos e ter um maior impacto do que muitas pessoas pensam, avisa Jack Ma, fundador e presidente executivo do Alibaba, o maior portal de comércio eletrónico da China.
Metro e Carris podem reforçar meios face a manifestação de taxistas
Os taxistas saem para a estrada em protesto, na quarta-feira, contra a lei que regula as quatro plataformas eletrónicas de transporte que operam em Portugal. Metro e Carris irão avaliar necessidade de reforço de meios.
Inquérito considerado racista pode resultar numa multa até 8 mil euros
Além do inquérito que está a correr na Direção-geral de Educação, também a Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial tem um procedimento a correr para perceber o que correu mal, já que a comissão recebeu várias queixas.
Comentários