Nasce manifesto anti-Tomás Correia para o Montepio

Um conjunto composto por várias dezenas de associados e associadas da Associação Mutualista Montepio decidiu assinar um Manifesto, intitulado ‘Construir a Confiança – Por um Montepio Competente, Solidário e Responsável’.

Cristina Bernardo

Um conjunto composto por várias dezenas de associados e associadas da Associação Mutualista Montepio – entre os quais constam os nomes de João Costa Pinto, José Almeida Serra, Mário Valadas, João Proença (da UGT), Norberto Pilar, Menezes Rodrigues, Nazaré Costa Cabral e Vítor Gonçalves, decidiu assinar um Manifesto, intitulado ‘Construir a Confiança – Por um Montepio Competente, Solidário e Responsável’, que se traduz num manifesto anti-liderança de Tomás Correia.

Os signatários prometem “lutar pela recuperação da imagem do Montepio e pela retoma do seu desenvolvimento”, em nome de “um dever de cidadania”.

Apesar de não fazer referência a Fernando Ribeiro Mendes, o perfil pretendido para presidente da Associação Mutualista encaixa na candidatura concorrente já admitida pelo atual administrador da Associação.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Santander Totta financia operações de PME no valor de 4,3 mil milhões

O Santander Totta anuncia a liderança nas linhas de crédito protocoladas com a PME Investimentos com 43.234 operações contratadas. A totalidade das linhas de crédito protocoladas com a PME Investimentos, até novembro de 2018, somam um total de 4.323 milhões de euros.

Lucro do Sistema de Indemnização aos Investidores cai 152% para 864 mil euros

O resultado líquido caiu em 2017, mas os ativos do fundo subiram 5,5%. “No balanço, destacam-se, no ativo, os meios financeiros líquidos, que totalizavam 11.480.988 euros (11,5 milhões), acima dos 10.939.010 euros (10,9 milhões) em 2016”, lê-se no relatório e contas publicado pela CMVM.

Associação diz que 150 emigrantes da Venezuela não estão abrangidos nas “soluções para os lesados”

Para o caso destes 150 ex-clientes do Banco Espirito Santo e das Suas sucursais financeiras no exterior, a solução encontrada para os outros lesados do BES e agora para os lesados do Banif, não os inclui, diz a ABESD – Associação de Defesa de Clientes Bancários.
Comentários