“Nego as acusações imediata, categórica e inequivocamente” afirma Kavanaugh

“A minha família e o meu nome foram completamente destruídos” admitiu o juíz nomeado a Supremo Tribunal

GettyImages

Depois de Chrstine Blasley Ford ter sido ouvida pelo Senado norte-americano, chega a vêz do juíz nomeado.

Brett Kavanugh está agora a ser ouvido pelo Comissão Judicial do Senado, em Washington D.C.

Kavanugh nega ”as acusações imediata, categórica e inequivocamente” afirmando nunca ter estado presente na festa em questão. “Oiçam as pessoas que me conhecem. Oiçam as pessoas que me conheceram a vida toda. Oiçam as pessoas com quem cresci e com quem trabalhei e com quem joguei e que treinei, com quem namorei, que ensinei e com quem fui a jogos e bebi cervejas. E oiçam as testemunhas que alegadamente estiveram neste evento há 36 anos… Eu não estive na festa descrita pela senhora Ford”.

Apesar desta acusação, Kavanaugh assegura que não deseja qualquer mal sobre Ford ou à família.

“Nunca agredi sexualmente ninguém. Nem no secundário, nem na faculdade, nunca. A agressão sexual é uma coisa horrível. Uma das minhas melhores amigas é uma pessoa que foi abusada e que pediu o meu conselho.” revelou Kavanaugh, emocionado.  No entanto, Kavanaugh sublinha que pensa que Ford terá sido agredida “por alguém, em algum momento”, mas não terá sido ele.

O juiz afirmou nas suas declarações de que as acusações são de natureza política, ”uma raiva contra o Presidente Trump e as eleições de 2016, um medo que foi injustamente criado em torno do meu serviço como juiz, vingança em nome dos Clintons e milhões de dólares de grupos da oposição de esquerda” assegurou o acusado.

Na sala, Christine Ford, a alegada vítima, já não estão presente, apenas os seus dois advogados assistem à audiência.

Perante o Comité do Senado, Kavanaugh foi questionado sobre o seu consumo de álcool na altura do incidente. O juíz admtiu beber cervejas com os amigos, ocasionalmente, mas sublinha que isso não significa que tal o torna responsável por uma agressão sexual. “Gostava de cerveja, ainda gosto de cerveja, mas não bebi cerveja ao ponto de perder a consciência e nunca agredi sexualmente ninguém.”

A senadora Amy Klobuchar, democrata, insiste na questão do consumo de álcool. “Alguma vez bebeu tanto que não se recorda do que aconteceu ou de partes do que aconteceu?”. Kavanaugh responde repetidamente com “nunca bebeu umas cervejas, senadora?”.

A democrata admitiu não ter um problema de alcoolismo, ao que Kavanugh respondeu ”nem eu”.

Foram relembradas as duas outras recentes acusações vindas de Deborah Ramirez e Julie Swetnick, às quais Kavanaugh negou. Sobre a mais recente acusação, Swetnick caracteriza Kavanaugh como um membro de um grupo que, alegadamente, embebedava e drogava raparigas para depois as violar.  O juíz negou, dizendo que ”a história da Swetnick é uma piada, é uma farsa!” O senador republicano Lindsey Graham interfere e pergunta diretamente a Kavanaugh se é um “gang-banger“, ou seja, um violador que atua em grupo. Kavanaugh negou.

No fim, Graham afirmou ”deselho-lhe o melhor e tenciono votar em si [Kavanaugh]. Espero que toda a gente que é equilibrada faça o mesmo”.

Durante ambas as audiências, de Ford e Kavanaugh, foi falada da necessidade de uma investigação pelo FBI, no entanto, as investigações só podem ser iniciadas (ou retomadas) se o Presidente Donald Trump assim o quiser.

Mazie Hirono, senadora democrata, relembrou e questionou a veracidade do testemunho dado por um antigo colega de quarto de Kavanaugh em Yale, James Roche, que caracterizou o juiz como um ”bêbedo desleixado” e que era ”agressivo e beligerante” quando bebia. Brett deferiu as perguntas referindo o seu percurso académico como resposta.

Jeff Flake, o senador republicano, pretendia votar a favor de Kavanaugh inicialmente, mas disse que esse voto ficaria em dúvida se Ford não fosse ouvida no Comité, algo que acabou por acontecer.

Na reta final da audiência, o juíz jurou ”em nome de Deus” que as acusações são falsas. Às 18h46 (hora de Washington D.C) foi dada por terminada a audiência de Brett Kavanugh.

Para amanhã está marcada a votação sobre a nomeação de Kavanaugh

Ler mais
Relacionadas

Dia decisivo para Kavanaugh: “Não estou aqui porque quero estar. Estou aterrorizada”

”Estou aqui porque acredito que o meu dever cívico é contar-vos o que me aconteceu enquanto eu e Brett Kavanaugh estavamos na escola secundária”. Foi assim que Christine Blasey Ford iniciou intervenção na Comissão Judicial do Senado.

Ameaça tripla pode ser fatal para a carreira política de Brett Kavanaugh

O candidato ao Supremo Tribunal conta agora três acusações de assédios sexuais que poderão ”ser um golpe fatal” na sua carreira política.

Respostas Rápidas: Acusações de assédio podem impedir Kavanaugh de chegar ao Supremo?

Brett Kavanaugh, o juiz nomeado por Trump e pelo Partido Republicano, para o Supremo Tribunal enfrenta duas acusações de assédio sexual. Muitos relembram o caso de Anita Hill, em 1991, e outros esperam que o verídico não seja o mesmo. O candidato nega as acusações e os membros da Casa Branca apoiam-no.
Recomendadas

Mundial da Rússia, Incêndios de Monchique e Bruno de Carvalho lideram tendências do Google em Portugal

A Google revelou os resultados anuais em termos de pesquisa na perspetiva dos momentos que marcaram o ano de 2018 no nosso país e no mundo.

Respostas Rápidas: Mais de uma dezena de feridos e um suspeito a monte. O que aconteceu em Estrasburgo?

O novo balanço das autoridades francesas aponta para duas vítimas mortais e mais de uma dezena de feridos. Atacante terá fugido para Alemanha. O Governo francês elevou o nível de alerta no país para “emergência por atentado”.

CFO da Huawei paga 6,6 milhões de euros para sair em liberdade

Meng Wanzhou foi libertada após o pagamento da fiança por ordem do juiz canadiano William Ehrcke. A diretora financeira da Huawei é acusada pelas autoridades dos EUA de fraude por violar as sanções comerciais impostas pelos norte-americanos ao Irão.
Comentários