Netanyahu: É preferível enfrentar Irão “agora do que mais tarde”

e

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, disse que o Irão está a fornecer armas avançadas para a Síria, o que representa um perigo para Israel, sendo preferível enfrentar Teerão “agora do que mais tarde”.

REUTERS/Dan Balilty
Ler mais

Netanyahu disse hoje, durante uma reunião de gabinete, que estão “determinados a bloquear a agressão do Irão” contra Israel. “(…) Mesmo que isso signifique lutar. Melhor agora do que mais tarde”, declarou o primeiro-ministro.

Israel alertou repetidamente que não tolerará uma presença militar iraniana permanente na vizinha Síria.
O Irão é um importante aliado do Presidente sírio, Bashar al-Assad, e forneceu ajuda militar crucial para as suas forças. Por outro lado, o Irão é um dos maiores “inimigos” de Israel.

O acordo nuclear com o Irão foi concluído em Viena entre Teerão e o Grupo 5+1 (China, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Rússia e Alemanha), antes da chegada à Casa Branca de Donald Trump. O acordo regula as atividades nucleares de Teerão, de modo a garantir sua natureza exclusivamente pacífica.

Em maio deste ano, o primeiro-ministro israelita explicou na televisão, a partir da sede do Ministério da Defesa, em Tel Aviv, que os serviços de inteligência do país recolheram grandes quantidades de documentos físicos e digitais que confirmam que o Irão “mentiu sobre o seu compromisso com o acordo nuclear assinado em 2015”.

Netanyahu adiantou que essas provas já foram mostradas aos Estados Unidos, mas também a França e ao Reino Unido. “Agora, os Estados Unidos têm tudo para salvaguardar a paz mundial”, disse, referindo-se ao prazo que acaba em 12 de maio para Trump decidir se se retira ou não do acordo nuclear assinado por Teerão.

Netanyahu afirma que os arquivos em sua posse – que serão também enviados à Agência Internacional de Energia Atómica – constituem “evidências conclusivas do programa de armas nucleares do Irão”, explanadas em cerca de 55 mil páginas e arquivos guardados em 183 discos compactos. “Durante anos, o Irão teve um programa nuclear secreto, o Projeto Amad. Vamos agora mostrar que era um plano para fabricar armas nucleares”, afirmou Netanyahu.

As palavras do primeiro-ministro israelita surgiram no dia seguinte a um ataque a duas bases sírias com presença militar iraniana. O impacto dos mísseis matou pelo menos 26 pessoas, incluindo iranianos, de acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, uma ONG independente que documenta atividades de guerra no país árabe.

Recomendadas
Respostas Rápidas: Que produtos foram afetados pelas tarifas dos EUA à China?
Em que ponto está a guerra comercial? Qual a lista de produtos impactados? Como reagiu a China? O que dizem os analistas? Segundo os cálculos do instituto alemão Ifo, estas tarifas irão travar o crescimento da China em 0,1 a 0,2 pontos percentuais e colocar a Europa numa posição mais forte.
Kim Jong-un diz que cimeira com Donald Trump estabilizou a segurança regional
O líder da Coreia do Norte enalteceu hoje a cimeira realizada com Donald Trump, presidente dos EUA, na medida em que estabilizou a segurança regional. Jong-un também disse que espera obter mais progressos na próxima cimeira inter-coreana.
China retalia Estados Unidos com tarifas de 60 mil milhões de dólares
A decisão surge horas depois de a Casa Branca dizer que os Estados Unidos da América iriam impor taxas alfandegárias às importações chinesas no valor de 200 mil milhões de dólares (aproximadamente 171 mil milhões de euros).
Comentários