Neves de Almeida abre inscrições para Índice de Excelência em RH

Estão abertas as inscrições para a terceira edição do estudo de clima organizacional e desenvolvimento de capital humano, promovido pela consultora.

O Índice da Excelência tem como objetivo “descobrir e promover o fator vencedor e que faz a diferença no sucesso de uma organização”, potenciando o que tem impacto na motivação dos profissionais e nos resultados operacionais a atingir.

A iniciativa pretende, também, contribuir para alertar o tecido empresarial português para a importância das temáticas relacionadas com a gestão estratégica do ativo humano.

A inscrição no estudo é gratuita. Na edição anterior responderam ao questionário cerca de 30 mil colaboradores, oriundos de 200 empresas.

Na sua terceira edição, o Índice da Excelência mantém o seu propósito inicial: conseguir disponibilizar uma avaliação da dimensão complexa do Capital Humano em contexto organizacional e compreender a sua relevância para uma estratégia global”, explica Para Pedro Rocha e Silva, partner da Neves de Almeida | HR Consulting.

Segundo o gestor, o ‘Fator X’ identificado neste estudo difere bastante de organização para organização, pelo que exige um “processo de conhecimento e avaliação que se revela fundamental no sentido de perceber qual a mais-valia diferenciadora em cada organização e como a utilizar para potenciar a relação com os seus colaboradores”.

 

 

Ler mais
Recomendadas

Portugal sobe sete posições no ranking mundial de talento e está entre os 20 primeiros

Este ranking, desenvolvido pelo World Competitiveness Center do IMD (International Institute for Management Development), conta com a colaboração exclusiva, em Portugal, da Porto Business School.

Shai Reshef: uma geração de educadores que pensem global

Shai Reshef, presidente da Universidade do Povo, explica ao Educação Internacional os objetivos deste programa colaborativo inovador.

Bactérias ajudam plantas a tolerarem longos períodos de seca. Descoberta é da Universidade de Aveiro

Face ao fenómeno das alterações climáticas, que trará períodos cada vez mais longos de seca, as bactérias agora descobertas “ajudam as plantas a tolerarem melhor a escassez de água”.
Comentários