Novo Banco vende 90% do Banco Internacional de Cabo Verde

O acordo de venda assinado prevê ainda um conjunto de opções de compra e venda, com condições já acordadas, que cobrem os restantes 10% e são exercíveis num prazo de 3 a 4 anos a contar desta data, explica a instituição.

Cristina Bernardo

O Novo Banco acaba de anunciar que venderam 90% do Banco Internacional de Cabo Verde, mas mais uma vez não é revelado o valor do negócio.

“No seguimento do comunicado de 2 de agosto de 2017 (…) o Novo Banco informa que concretizou a venda de 90% do capital social do Banco Internacional de Cabo Verde, à sociedade IIBG Holdings B.S.C., constituída no Reino do Bahrain”, lê-se no comunicado. O Bahrain é um  pequeno país insular do Golfo Pérsico, com fronteiras marítimas com o Irão a nordeste, com o Qatar a leste e com a Arábia Saudita a sudoeste. A sua capital é Manama.

O acordo de venda assinado prevê ainda um conjunto de opções de compra e venda, com condições já acordadas, que cobrem os restantes 10% e são exercíveis num prazo de 3 a 4 anos a contar desta data, explica a instituição.

A conclusão da transação, nos termos e condições agora definidos, “terá um impacto marginalmente positivo no rácio de capital Common Equity Tier 1 do Novo Banco”, o que significa que ficou ligeiramente acima do valor contabilístico líquido de imparidades.

“Esta transação representa mais um importante passo no processo de desinvestimento de ativos não estratégicos do Novo Banco, prosseguindo este a sua estratégia de foco no negócio bancário doméstico e ibérico”, conclui o banco.

Recomendadas

Novas transferências bancárias imediatas chegam a 95% das contas portuguesas

O novo subsistema de transferências foi desenvolvido com base nos requisitos pan-europeus estabelecidos para o processamento destas operações. Ficou, terça-feira, disponível apenas entre contas portuguesas, mas o plano é que se estendam a todos os países da SEPA.

BCE confirma Luís Ribeiro como administrador do Novo Banco

Este é o administrador com a área comercial de retalho que já estava em funções na Comissão Executiva liderada por António Ramalho, e cuja avaliação estava em curso no BCE. O Novo Banco vai ainda ter um novo CFO, o irlandês Mark Bourke, e Jorge Cardoso fica com a área de banca de investimento.

Elisa Ferreira defende procedimentos especiais para insolvências de bancos de média dimensão

Como a resolução de um banco médio, mas com relevância sistémica a nível local, tem um impacto social e económico considerável “precisamos de discutir alternativas para os bancos médios e pequenos que saem do mercado, em vez de avançar em direção a uma nova camisa de forças” global, defendeu a vice-governadora do Banco de Portugal em Basel, Suíça.
Comentários