Número de visitantes estrangeiros na Grã-Bretanha cai para mínimos de 2009

Os dados do Instituto Nacional de Estatística britânico indicam que esta é a maior queda percentual desde a crise financeira, que se fez sentir com maior impacto no país no início de 2009.

Londres, Inglaterra

O número de estrangeiros que visitam a Grã-Bretanha, em turismo ou trabalho, caiu 7,7% para 10.038 milhões entre abril e junho deste ano. Os dados do Instituto Nacional de Estatística britânico indicam que esta é a maior queda percentual desde a crise financeira, que se fez sentir com maior impacto no país no início de 2009.

A maior queda no número de visitantes registou-se entre os norte-americanos, cujas entradas na Grã-Bretanha recuaram 10%. Seguiram-se os europeus, com uma queda de 8% nas visitas à Escócia, Inglaterra e País de Gales. Já entre os visitantes de outros lugares registou-se um recuo de 6%.

Também o total de gastos pelos visitantes estrangeiros desacelerou. Ao todo, registou-se uma queda de 0,3% para 5,8 mil milhões de libras (6,6 mil milhões de euros), em comparação com o ano anterior. O principal motivo das visitas à Grã-Bretanha continua a ser o turismo, que recuou 8%. As visitas de negócios caíram também 15%, enquanto as visitas a amigos e família aumentaram 6%.

A queda da libra esterlina depois que a Grã-Bretanha votou no Brexit tornou a ilha um destino de férias mais barato, o que fez com que o número de visitantes no segundo e terceiro trimestres de 2017 tenha disparado para valores recorde.

Ler mais
Recomendadas

Teerão condena pedido “arrogante” dos Estados Unidos à Europa

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão classificou como odioso e arrogante o pedido norte-americano que quer levar a Europa a abandonar o acordo nuclear com Teerão.

May pede a deputados conservadores que deixem de lado “preferências pessoais”

A primeira-ministra britânica pediu aos deputados conservadores para se unirem no apoio a um acordo sobre a retirada do Reino Unido da União Europeia.

Angola está muito atraente para os investidores

Analista do centro de pesquisa norte-americano Atlantic Council considera que Angola é “um ponto brilhante” para os investidores internacionais, ao contrário do resto de África.
Comentários