“Nunca trabalhei para a Rússia”, afirma Donald Trump

“Eu nunca trabalhei para a Rússia”, afirmou Donald Trump aos jornalistas, nos jardins da Casa Branca, minutos antes de partir para Nova Orleães, em referência às acusações de conluio com o Governo russo que terá interferido no resultado das eleições presidenciais de 2016.

O Presidente dos EUA, Donald Trump, negou hoje alguma vez ter trabalhado para o Governo russo, respondendo a uma pergunta a que se tinha esquivado durante o fim de semana.

“Eu nunca trabalhei para a Rússia”, afirmou Donald Trump aos jornalistas, nos jardins da Casa Branca, minutos antes de partir para Nova Orleães, em referência às acusações de conluio com o Governo russo que terá interferido no resultado das eleições presidenciais de 2016.

No sábado, Donald Trump tinha recusado responder a um jornalista da cadeia televisiva Fox News que o interrogou sobre se alguma vez tinha trabalhado para o Governo russo, alegando que a questão era até insultuosa.

O Presidente dos EUA aproveitou ainda a presença dos jornalistas, hoje na Casa Branca, para acusar as antigas direções do FBI e do Departamento de Justiça (que, entretanto, demitiu e substituiu) de serem constituídas por “canalhas conhecidos” e “polícias sujos”.

A decisão de demitir o antigo diretor do FBI James Comey é uma das questões a ser analisadas pelo procurador especial Robert Mueller, no âmbito da investigação sobre o alegado conluio entre a equipa de campanha de Donald Trump e o Governo russo para interferir nas eleições presidenciais de 2016.

Recomendadas

Confiança dos empresários alemães aumenta pela primeira vez em seis meses

O ifo Business Climate Index subiu em março, de 98,7 para 99,6 pontos. Este é o primeiro aumento após seis quedas sucessivas. As empresas estão um pouco mais satisfeitas com a sua atual situação de negócios, e estão decididamente mais otimistas em relação aos negócios nos próximos seis meses.

Steve Bannon e as eleições europeias: “Quanto mais participação houver, maior será a vitória do movimento populista”

Antigo conselheiro de Trum, ideólogo da nova extrema-direita e mentor de Bolsonaro e dos espanhóis do Vox, Bannon considera possível que 30% do próximo parlamento europeu seja populista.

CDS quer Governo a reforçar vagas em creches e lares para portugueses que regressem da Venezuela

O CDS-PP quer que Governo a apoie e pague regresso de portugueses na Venezuela. Custear despesas com as viagens, acelerar a tramitação dos processos de nacionalidade, eventuais benefícios fiscais e reforço de apoios sociais e em medicamentos são algumas medidas que constam do plano de apoios dos centristas a que juntam agora a disponibilização de vagas em creches ou lares de idosos, com contratualização com a Segurança Social.
Comentários