PremiumNuno Amado impedido de votar no ‘board’ da EDP

O BCP deixou de ser intermediário financeiro da China Three Gorges na OPA depois de ter sido impedido de votar numa reunião do CGS da EDP.

O BCP pediu para deixar de ser intermediário financeiro da China Three Gorges (CTG) na OPA sobre  a EDP, depois de Nuno Amado ter sido impedido de votar numa reunião do conselho geral e de supervisão da  elétrica, soube o Jornal Económico.

Nuno Amado é presidente do conselho de administração do BCP e membro do conselho geral e de supervisão da EDP em representação do banco, que tem uma participação na empresa liderada por António Mexia, de 2,43%, através da Fundação BCP e do fundo de pensões.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Clientes são os vencedores do ‘confronto’ entre FinTech e a banca

Com a aposta no digital, a banca segue o exemplo das FinTech em identificar soluções para resolver as exigências dos clientes.

Ana Gomes: “Maior roubo organizado das poupanças dos depositantes no BES”

A acusação é de Ana Gomes. Do BES partiram 7,9 mil milhões de euros, 80% das transferências que ficaram omissas no sistema informático da AT.

Diretiva PSD2 e a difícil arte de regular tecnologia

A tecnologia evolui a um ritmo mais acelerado que a regulação e dificulta a tarefa de legislar os serviços de pagamento.
Comentários