“O Governo Regional e a República têm que se entender no subsídio de mobilidade”, apela CEO do Porto Bay

O gestor hoteleiro lembrou ainda que a TAP não transporta só residentes para a Madeira. “30% dos passageiros são estrangeiros. A TAP tem o dobro dos passageiros relativamente ao segundo operador”, sublinhou António Trindade.

O CEO do Porto Bay, António Trindade, apelou a um entendimento entre o Governo Regional e o da República relativamente ao subsídio de mobilidade, durante a Conferência Anual do Turismo, da Ordem dos Economistas da madeira, que decorre no Centro de Congressos da Madeira.

“Os dois governos têm que encontrar uma forma de resolver o problema do subsídio de mobilidade. É preciso encontrar uma forma expedida para o retorno financeiro deste subsídio de mobilidade”, afirmou o CEO do Porto Bay.

António Trindade lembrou ainda que a TAP não transporte só residente, referindo-se à ligação aérea com a Madeira, mas também turistas.

“30% são turistas. A TAP tem o dobro relativamente ao segundo operador”, sublinhou.

 

Recomendadas

Carlos Costa: “Se alguém tem provas que me ponham em causa tem toda a possibilidade de me exonerar”

Governador do Banco de Portugal diz que nada fez de errado quando era administrador do banco público.

Salário mínimo deve ser igual para todos, defende Rui Rio

“O salário mínimo nacional é algo que todos nós temos consciência que está abaixo daquilo que é justo e, portanto, tem que ser igual para todos, não podemos discriminar”, salientou o líder do PSD.
Comentários